Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A partir de agora, metas e ações do PERS/PR devem ser implantadas nos 399 municípios do Paraná

Na última quinta-feira (30), a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná lançou o Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS/PR), do qual a Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) participou em Curitiba. O plano traz metas, diretrizes, programas e ações que devem ser implementados nos próximos anos.

Ele aborda o planejamento da gestão de resíduos sólidos urbanos, de saúde, construção civil, transporte, saneamento, industriais e agrossilvopastoris, elencando as metas de curto, médio e longo prazo. Além disso, traz instrumentos para o enfrentamento dos principais problemas decorrentes do manejo inadequado dos resíduos, além de prever a redução na geração dos poluentes através de hábitos de consumo sustentável, estímulo à reciclagem, reutilização dos resíduos sólidos, destinação ambientalmente adequada dos rejeitos e eliminação dos lixões. A partir de seu lançamento, o plano começa a vigorar no estado e os municípios devem implantar suas ações.

Durante o lançamento do documento, os municípios também colocaram seus desejos para os próximos 1.461 dias dentro de “Cápsulas do Tempo” do PERS/PR. Segundo a geógrafa da Sema e integrante do Grupo R-20, Mariza Pissinati, cada região elencou os desejos para a implantação do documento. Eles serão abertos em 2022, quando se verificará a efetivação total ou parcial das iniciativas.

Além disso, alguns municípios como Londrina já estão colocando em prática alguns pontos trazidos no PERS/PR. Em Londrina, já existe um projeto de logística reversa para lâmpadas, em que a ideia é instalar na cidade 50 pontos de coletas ao todo. Até o momento, 36 já foram instalados com a parceria estabelecida com a Associação RECICLUS. Outra iniciativa é em prol do descarte correto de pilhas, sendo que já existem três pontos na cidade, sendo dois no Atacadão e um Carrefour. “Cada município tem que criar os sistemas e as estratégias para sensibilizar a sociedade sobre a importância da diminuição ou a não geração de resíduos sólidos como, por exemplo, através da educação ambiental e isso Londrina já tem feito”, explicou Mariza.

Para o coordenador do Plano Estadual de Resíduos Sólidos, Helder Rafael Nocko, com o plano estadual, os municípios terão a oportunidade de aperfeiçoarem seus programas, ações e políticas sobre resíduos sólidos. Além disso, eles poderão contar com o apoio e o acompanhamento da gestão de políticas de resíduos sólidos, por meio do governo estadual, visto que a ideia é que o Estado apoie fortemente os municípios, colaborando como parceiro, apoiando e ajudando a criar infraestrutura e gestão organizada de resíduos sólidos, pois o plano estadual deve impactar todos os municípios. “Londrina por ainda não ter um plano municipal vai ter um momento importante para incorporar todas as metas, programas e diretrizes em seu planejamento municipal. É uma oportunidade de melhorar sua gestão com base no que vem sendo trabalhado no plano estadual”, disse.

A partir de agora, os municípios estão divididos em grupos de trabalho, onde estudarão as ações imediatas que devem ser implantadas e como farão isso. Para isso, todos receberam um relatório síntese do plano estadual. Para a elaboração do PERS/PR, os 399 municípios do estado participaram de fóruns, encontros técnicos e oficinas, em que os representantes das secretarias municipais de Ambiente apresentaram as sugestões, fizeram críticas e análises sobre a viabilidade de diversas ações e políticas.

O consórcio EnvEx e Engebio, responsável pela elaboração do PERS/PR, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná (SEMA/PR) e os municípios coletaram informações junto aos órgãos públicos do Paraná, como o IAP, Embrapa, IBAMA, Prefeituras e outros. Também foram aplicados questionários aos gestores públicos, realizaram-se visitas in loco em 66 municípios, em seus aterros, cooperativas de tratamento de resíduos e empresas que trabalham com ações de retorno de resíduos.

Ana Paula Hedler/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios