Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Modelo a ser implantado no município em 2020 será discutido em reunião pública nesta sexta-feira (29). CMTU propõe contratação de empresa terceirizada

Após diversas reuniões realizadas na Câmara Municipal de Londrina ao longo deste ano para debater os problemas relacionados à coleta de lixo na cidade, a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) elaborou uma proposta de atualização do Sistema de Coleta de Resíduos Recicláveis, que será apresentada em reunião pública na próxima sexta-feira (29), às 9 horas, na sala de sessões do Legislativo. Além da equipe da CMTU e vereadores, o encontro deverá contar com a presença de representantes das sete cooperativas que hoje atuam no sistema, recicladores autônomos, associações de moradores e comunidade em geral.  A reunião será transmitida ao vivo pelo site www.cml.pr.gov.br e pelo canal Câmara Londrina no Youtube.

Na última sexta-feira (22) a proposta, para ser implantada no município em 2020, foi apresentada aos vereadores que compõem as comissões de Administração, Serviços Públicos e Fiscalização e de Política Urbana e Meio Ambiente, responsáveis por coordenar os debates sobre o assunto no Legislativo, iniciados há nove meses com todos os setores envolvidos no processo.

Para Gilmar Domingues Pereira, gerente de Resíduos da CMTU, a atual situação no município é preocupante. “Há veículos sem a menor condição de circular na cidade e que estão aí, fazendo a coleta de resíduos. Isto precisa ser resolvido”, defendeu, lembrando ainda que a ideia também é gerenciar melhor a coleta de materiais orgânicos e rejeitos, com ênfase na educação ambiental.

Novo modelo

Em linhas gerais, o projeto idealizado por profissionais da CMTU propõe a contratação de uma empresa para fazer a coleta dos recicláveis em todo o município, que será dividido em três grandes áreas.  As cooperativas que hoje já atuam no setor e as associações que poderão ser criadas para acolher os recicladores informais terão o papel de receber, separar e comercializar os materiais. Outra medida, já anunciada recentemente pela prefeitura, deverá ser a retomada da distribuição dos sacos verdes para o armazenamento de recicláveis. Com estas iniciativas, segundo dados da CMTU, o Município pretende otimizar a coleta e dobrar a quantidade de material recolhido.

De acordo com o diretor de Operações da Companhia, Alexandre Fujita, está sendo avaliado o custo do novo modelo para a elaboração do termo de referência e posterior publicação do edital de licitação para contratar a empresa que se responsabilizará pela coleta. “Os recursos para a implantação deste novo modelo virão do Fundo de Urbanização de Londrina (FUL)”, esclareceu Fujita.

Participação do Legislativo

O vereador Amauri Cardoso (PSDB), vice-presidente da Comissão de Administração, Serviços Públicos e de Fiscalização e membro da Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente, ressaltou que as soluções propostas foram construídas por meio dos debates realizados desde o mês de março deste ano na Câmara, quando recicladores e trabalhadores informais procuraram o Legislativo para relatar as limitações e problemas do sistema atual. Na seqüência, a CMTU foi envolvida nas reuniões que se seguiram sobre o tema.   

“A partir dos problemas aqui expostos e das nossas constantes reuniões com os técnicos da CMTU, os profissionais começaram a pensar na melhor alternativa”, afirmou Cardoso, que foi acompanhado na reunião da última sexta-feira pelos vereadores José Roque Neto (PL) e Vilson Bittencourt (PSB), respectivamente presidente e membro da Comissão de Administração; e do Pastor Gerson Araújo (PSDB), presidente da Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios