Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Programação do encontro prevê seminários com profissionais da área, precedida de debates; serão abordados quatro temas ambientais

Hoje (31) Londrina recebe o primeiro de três seminários que buscam a formulação de políticas públicas ambientais sustentáveis, que tem como tema “O Tribunal de Contas com o foco no Meio Ambiente”. O encontro promovido pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) teve a abertura no Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Londrina e Região (SINCOVAL), às 8h30, e acontece até as 18h.

A mesa de abertura da cerimônia foi composta com o presidente do TCE-PR, Fernando Augusto Mello Guimarães; o  secretário do Ambiente de Londrina, José Novaes Faraco e o prefeito de Cambé, João Dalmacio Pavinato.

Durante toda a programação do evento serão apresentadas as experiências de fiscalização ambiental reunidas pelo TCE-PR, nos últimos 15 anos. Está previsto também, a participação de especialistas e técnicos do Tribunal que apresentaram quatro palestras seguidas de debates. A primeira palestra foi presidida por Fernando Augusto Mello Guimarães, às 9h15, com o tema “Meio Ambiente e Desenvolvimento: A questão da sustentabilidade dentro das políticas públicas”. Já a segunda apresentação tem como tema o “Destino de resíduos sólidos e líquidos”, todas as palestras serão sucedidas de debates.

Segundo o secretário municipal do Ambiente, José Novaes Faraco, a participação do presidente do TCE-PR é muito importante para a cidade, pois, prevê um esclarecimento sobre leis e serviços ambientais, dando uma orientação da melhor forma que o município deve trabalhar. “As leis ambientais ainda estão se firmando, como uma legislação nova, que a sociedade e os próprios administradores precisam entender melhor para que não se cometa injustiças, e para resultar em um melhor meio ambiente para todos nós”, destacou.

O presidente do TCE-PR Augusto Mello Guimarães esclareceu porque o tribunal está priorizando também, o foco no meio ambiente. “O tribunal não é somente um órgão repressor e fiscalizador. Hoje, temos que ter uma postura mais pró-ativa, dando qualidade de informação, resultados e questões pontuais desses nossos trabalhos, focados na gestão pública. Não basta só ter fiscalização, porém, ter um trabalho focado no resultado da gestão. Então, o objetivo é auxiliar a sociedade a ter outro enfoque em relação à gestão pública, com uma visão mais sistemática do meio ambiente”, explicou.

O seminário é dirigido a gestores e profissionais que tenham envolvimento direto na formulação e execução de políticas públicas na área ambiental, aproximadamente 80 pessoas são esperadas no encontro. A meta é buscar uma gestão participativa, envolvendo o órgão de controle externo, os gestores públicos e a sociedade.

No período da tarde, a programação prevê palestras de “Saneamento - uma questão de Meio Ambiente”. Depois, o Tribunal apresenta resultados e debate o case das Auditorias Operacionais (AOP). Ângela Cássia Costaldello debate, em seguida, o Planejamento Urbano no Contexto Ambiental.

(Ncom_PML)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios