Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa assumiu nesta quinta-feira (25), na abertura do 6º do Fórum Mundial de Meio Ambiente, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, o compromisso de atingir a meta de desmatamento ilegal zero no Paraná, em sua segunda gestão. O governo estadual prepara um conjunto de medidas para ampliar as ações de fiscalização, prevenção e de educação ambiental. 

“O meio ambiente saudável e protegido é o melhor fundamento que o Estado do Paraná pode oferecer para um amplo e inadiável conjunto de políticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas” afirmou Richa. 

Realizado pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide), o Fórum Mundial de Meio Ambiente discute desenvolvimento econômico e sustentabilidade e tem como tema central o impacto das mudanças climáticas. O evento reúne cientistas, pesquisadores, lideranças políticas e empresariais. 

Na abertura, na presença do presidente do Grupo Lide, João Dória; do prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira, empresários e prefeitos, e do ex-presidente da Bolívia, Jorge Quiroga, o governador defendeu o fortalecimento do papel dos municípios na gestão, planejamento e educação ambiental. 

“É uma excelente oportunidade de discutir o nosso futuro. As mudanças climáticas deixaram de ser uma hipótese para se tornar uma certeza. Seus efeitos são sentidos em toda a parte, no campo e nas cidades”, disse. 

O presidente do Grupo Lide, João Dória, disse que não se pode mais imaginar desenvolvimento econômico sem sustentabilidade. “O Brasil evoluiu muito neste aspecto. Há um sentimento mais republicano, construtivo, uma agenda positiva, que permite o entendimento entre empresários, governantes e ambientalistas”, disse ele. "O confronto não é construtivo, quando se tem diálogo, se encontra as soluções”, afirmou ele. 

Ao final do Fórum Mundial de Meio Ambiente, nesta sexta-feira (26), será divulgada a Carta de Foz, com conclusões finais sobre o encontro. “O debate deve contribuir para a ampliação de uma agenda ambiental, além de fortalecer o conceito para a preservação socioambiental no Brasil”, disse Dória. 

FLORESTAS - O secretário do Meio Ambiente do Paraná, Ricardo Soavinski, explica que o Paraná tem hoje 11% da cobertura florestal original. “Não podemos perder mais essas florestas. Para isso, vamos fazer cumprir a lei e coibir todo tipo de desmatamento ilegal. A população está mais consciente e nos ajudará a cumprir essa meta”, afirmou. 

O secretário também comentou a realização de um fórum mundial para discutir as mudanças climáticas no mundo. “É um encontro muito importante para o momento que passa o planeta. As mudanças climáticas estão cada vez mais evidentes. O governo estadual tem agido de forma inovadora para ajudar a conter esse problema”, disse ele. 

BOX I 

Paraná protege mananciais e áreas verdes 


No seu pronunciamento, Richa disse que o Paraná está bem posicionado para responder ao maior desafio do planeta, que é menos emissões, mais florestas e mais proteção às fontes de abastecimento de água. 

O Estado tem programas para preservação de águas e de áreas verdes. Richa citou a regulamentação do Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), que premia o agricultor que preserva recursos naturais; a ampliação do ICMS Ecológico, destinados aos municípios que abrigam mananciais e áreas verdes, e a revitalização do Rio Iguaçu, que é aguardada há décadas pela popualação. “Agora, numa parceria entre Governo do Estado e Sanepar, temos medidas concretas e efetiva, começamos o trabalho”, afirmou Richa. 

O governador citou, ainda, o programa Parques do Paraná, lançado no último dia 9 de junho. O programa envolve o governo, municípos e comunidades do entorno de unidades de conservação. “O Objetivo é intensificar a visitação às unidades para ampliar a conscientização da população sobre a importância da preservação e intensificar o turismo, que gera emprego e renda”, disse ele. 

Outras medidas são a rede de monitoramento hidrometeorológico, o mapeamento de riscos de desastres ambientais e o primeiro inventário estadual de emissões de gases de efeito estufa.

Agência de Notícias/PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios