Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Mais de 1,2 mil ações ambientais foram realizadas em 100 canteiros de obras do País. Seis obras paranaenses apresentaram percentuais elevados de eficiência no quesito sustentável, entre 87% a 99%.

As questões envolvendo sustentabilidade já fazem parte da identidade da MRV Engenharia e, para deixar o tema ainda mais presente no cotidiano de seus colaboradores, a construtora organizou um campeonato envolvendo 100 canteiros, que realizaram cerca de 1.263 ações ambientais entre julho de 2014 até maio deste ano.

“Queremos fomentar que as pessoas passem a pensar em sustentabilidade a partir de ações que realizam no seu cotidiano focando na limpeza, organização e atendendo aos requisitos legais da legislação ambiental vigentes no País”, explica o engenheiro José Luiz Esteves da Fonseca, gestor executivo da MRV de Saúde, Segurança e Meio Ambiente e um dos organizadores deste campeonato.

A maior contribuição desta iniciativa, segundo o gestor, foi a conscientização dos funcionários. “É um caminho sem volta, pois os trabalhadores perceberam os ganhos ambientais e sociais destas ações, além do financeiro e já não querem mais  fazer de outro jeito”, explica ele. “É um processo que todos ganham”.

Entre as ações ambientais, se destacam a segregação de resíduos e suas destinações corretas, utilização de lâmpadas de garrafa PET, de telhas translucidas, utilização de água da chuva, ações de logística reversa, entre outras, que resultaram em uma economia de mais de R$ 4,3 milhões entre julho de 2014 a março de 2015.

Resultado Paranaense

Segundo o engenheiro ambiental da MRV para a região Sul, Marcos Santiago, as seis obras paranaenses que participaram do campeonato apresentaram percentuais de sucesso nas questões de sustentabilidade de 87% a 99%, o que as garantiram com colocações entre a 16ª e 35ª posições. “Nossos resultados, em conjunto, foram muito expressivos e demonstram o empenho de toda a equipe”, afirma. “Estamos agora colhendo os frutos do campeonato, o Paraná conta hoje com 10 obras em atividade e, mesmo as que não participaram do campeonato, estão aplicando as melhores práticas”.

De acordo com Santiago, os resultados das obras foram estabelecidos por meio de auditorias trimestrais, analisando 19 itens processuais, que comprovam a eficiência das ações atribuindo ou retirando pontuações. “Mais importante que o resultado final foi a evolução apresentada. Algumas das obras do Paraná obtiveram destaque no número de práticas implantadas ao longo do período”, explica.

Ari Lemos/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios