Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Meio Ambiente 25/05/2017  09h12

Município apresenta levantamento sobre emissão de gases poluentes

O 1º Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa foi desenvolvido por uma comissão técnica com membros de secretarias e órgãos municipais

A Prefeitura de Londrina apresentou, na tarde de ontem (24), o 1º Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). O objetivo do estudo é tornar Londrina uma cidade mais sustentável, através da articulação de planos de ação e de políticas públicas para a diminuição da emissão dos gases do efeito estufa.

A solenidade foi realizada no gabinete do prefeito Marcelo Belinati, que recebeu o secretário-executivo, para América do Sul, do ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade, Rodrigo de Oliveira Perpétuo, e o gerente de mudanças climáticas do órgão, Igor Reis de Albuquerque. Trata-se de uma associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável, com a qual o Município mantém parceria técnica.
O Inventário faz parte dos requisitos do Pacto dos Prefeitos (“Compactof Mayors”) da Organização das Nações Unidas (ONU), assinado em 2015, pelo município de Londrina. Ele contempla informações de cinco grandes áreas que são energia estacionária, transporte e mobilidade, resíduos, uso e ocupação do solo e indústria. Londrina será a primeira cidade do Brasil a elaborar o inventário somente com o trabalho de servidores municipais. A construção do mesmo instrumento vem sendo licitada por outros municípios com investimento de cerca de R$ 1,5 milhão, em média.

O 1º Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa foi elaborado por uma comissão técnica formada por integrantes da Sema, do IPPUL, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). Durante a solenidade, o relatório foi apresentado pelo arquiteto do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul), Robson Shimizu.

Segundo o prefeito Marcelo, o estudo desenvolvido pelo Município para o lançamento do 1º Inventário poderá embasar as transformações que a gestão pretende concretizar em Londrina, para que a cidade possa ser cada vez mais sustentável e se desenvolva oferecendo mais qualidade de vida à população. “Nosso trabalho está sendo feito, em todas as áreas, de forma organizada e planejada, para que, efetivamente, possamos mudar Londrina para melhor. Isso somente será possível com um trabalho transversal, que passa de forma importante pela questão da sustentabilidade, e por meio de diagnósticos com planejamento, dados e indicadores. Mas, principalmente, com um trabalho realizado em conjunto”, destacou.

A secretária municipal do Ambiente, Roberta Queiroz, destacou a importância da parceria e o apoio técnico e institucional do ICLEI, enfatizando que a troca de experiências que o órgão tem proporcionado ao Município é enriquecedora e está em consonância com os planejamentos da Sema, para uma gestão local alinhada com a agenda global de sustentabilidade. “Agradeço a todo o apoio que nos vem sendo dado e aos convites feitos ao Município. Isso assevera Londrina e fortalece o direcionamento que está sendo construído em relação a políticas de sustentabilidade frente ao cenário mundial. O inventário é um instrumento de suma importância que serve para nortear as ações de toda a administração e representa um primeiro passo para que Londrina possa consolidar sua atuação no enfrentamento de questões ligadas às mudanças climáticas”, afirmou.

Por sua vez, Rodrigo de Oliveira Perpétuo, que abriu a solenidade fazendo uma apresentação sobre o órgão, apontando suas áreas de atuação e principais serviços prestados, destacou que a filiação de Londrina nessa parceria técnica irá permitir que a cidade aperfeiçoe seus instrumentos de planejamento metropolitano com ênfase na integração ou inserção dos parâmetros de biodiversidade. “Através disso, o Município terá caminhos abertos para traçar planos de ação, adaptação e mitigação frente às mudanças climáticas, formulando uma política pública voltada a essa área de atuação. Dessa forma, as agências internacionais de financiamento poderão visitar a cidade e conhecer as possibilidades de investimento para a implementação das políticas locais”, destacou.

Inventário - O material aborda os setores de Energia, Transporte e Resíduos e traz informações sobre a emissão de poluentes, para se obter uma plataforma comum de apreensão do impacto de ações coletivas das cidades através da medição padronizada das emissões e dos riscos climáticos, e relatórios públicos consistentes. Todas as informações contidas no documento serão usadas como ferramenta para a confecção do Plano Municipal de Mudanças Climáticas.

O estudo agrega dados sobre emissão de energia relativas à rede elétrica, combustão, combustível fóssil, incluindo setores residencial, comercial, institucional, manufatura, indústria, gás natural, consumo GLP e residencial, combustão na agricultura, referentes ao consumo energético do município em vários aspectos.

ICLEI – Trata-se de uma associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável que hoje atende cerca de 1.500 governos locais em torno das atividades,  tendo mais de mil filiados diretamente. São 14 escritórios em seis continentes, atendendo 100 países em todo o mundo. Na América do Sul, são 50 membros filiados de oito países.

Rodrigo de Oliveira Perpétuo frisou que o ICLEI tem, entre seus principais objetivos, partir de ações locais para fazer a diferença no movimento global pela sustentabilidade, para colocar os municípios como atores estratégicos no intuito de atingir essas metas, oportunizando acesso a capacidades técnicas e instrumentos financeiros para alcançá-las. “Esses processos passam por pontos importantes como a capacitação de gestores e lideranças locais, desenvolvimento de metodologias e ferramentas ao município, a cooperação cidade-cidade, apoio técnico para planos municipais e, posteriormente, o acesso ao financiamento”, disse.

Convites - O Secretário-Executivo para América do Sul do ICLEI, Rodrigo de Oliveira Perpétuo, aproveitou a solenidade para convidar o prefeito Marcelo Belinati para que leve o projeto do inventário elaborado por Londrina até a cúpula de prefeitos que irá ocorrer no evento COP-23, a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. Em 2017, o evento será realizado na cidade de Bonn, na Alemanha, sede do ICLEI.

O ICLEI também convidou a secretária municipal do Ambiente, Roberta Queiroz, para que participe de uma conferência de cidades chinesas pelo desenvolvimento sustentável, a ser realizada este ano.

Também participaram da solenidade o vice-prefeito João Mendonça, secretários municipais e lideranças do Executivo, representantes da comissão técnica que desenvolveu o Inventário, além de assessorias de vereadores e servidores municipais.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios