Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estudo realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) aponta o Brasil como o maior produtor de lixo eletrônico da América Latina e 7º maior do mundo. O país gera em torno de 45 milhões de toneladas por ano e o mais grave: coleta e dá destinação correta a apenas cerca de 3% desse perigoso lixo.

Em Londrina e região, as coletas têm sido realizadas regularmente pela ONG E-Eletro, que neste sábado, dia 30 de janeiro, recebendo os resíduos eletrônicos que não têm mais uso.

Em parceria com o Mercado Prochet, localizado na avenida Harry Prochet, 305, das 9 às 16 horas.

A Ong E-Eletro, pioneira na região,  recolhe e dá destinação correta a todo o lixo eletrônico coletado mensalmente, que gira em torno de 20 toneladas, segundo idealizador da Ong Alex Gonçalves.

São enquadrados como lixo eletrônico computadores velhos, televisores, celulares, aparelhos de DVD, de som e fax; cabos, baterias de celular, caixa de som, câmera fotográficas, carregadores, CD-Rom, fios, fontes, mouses, no breaks, centrais telefônicas, chapinhas, conectores, ventiladores, controles, pen-drive, placa-mãe, rádios, vídeo-games, entre outros.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios