Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os 25 anos do Parque Estadual Mata dos Godoy, em Londrina, foram comemorados na terça-feira (02) com uma solenidade promovida pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). A Unidade de Conservação preserva um dos últimos remanescentes de Floresta Subtropical (Floresta Estacional Semidecidual), que anteriormente cobria grande parte do Paraná e estendia-se até o Paraguai e Argentina.

Para garantir a preservação ambiental e o lazer em contato com a natureza, o parque conta com três trilhas abertas à visitação – Trilha do Projeto Madeira, Trilha Interpretativa, ou das Perobas e Figueiras, e a Trilha Álvaro Godoy, ou dos Catetos. As trilhas podem ser percorridas por qualquer pessoa, sem necessidade de preparo físico ou guia contratado.

“O local também serve como laboratório para pesquisas científicas da fauna e da flora da região e promove a educação ambiental de alunos de escolas públicas e particulares”, disse a gerente da Unidade de Conservação Leliana Casagrande.

Em parceria com as secretarias de Educação e de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, o Programa Parque Escola – que funciona no parque desde 2012 – já capacitou professores da rede pública de ensino e recebe estudantes do ensino fundamental de escolas estaduais.

O Mata dos Godoy também atende alunos de escolas rurais por meio de parceria com a Cooperativa Integrada e Unimed. Desde 2010 a parceria atende cerca de 500 alunos por ano.

O parque funciona de terça a sexta-feira, das 08h30 às 17h30, e aos domingos e feriados, das 13h30 às 17h. As visitas podem ser agendadas pelo telefone (43) 3373-8700.

História

Até junho de 1989, quando foi assinado o decreto de criação do parque, a área da Unidade de Conservação pertencia à Fazenda Santa Helena, de propriedade da Família Godoy, que já na época mantinha a mata com o objetivo de preservar o local para as gerações futuras.

"Meus antepassados tiveram a sabedoria de preservar a natureza e nós muitas vezes não sabemos o que fazer com ela. Por uma necessidade de poder e de notoriedade, a atropelamos de forma deseducada. O parque é a realização do sonho dos nossos antepassados", disse Maria Helena Santos Godoy Tenório, filha de Olavo Godoy, um dos membros da família.

Segundo ela, a família tinha a necessidade de caminhar pela mata. Por isso, foram criadas trilhas no parque – algumas existentes até hoje – para ligar uma casa a outra dentro da fazenda. "Os Godoy foram muito avançados para o tempo deles, pois naquela época, do jeito deles, já começavam a criar os chamados corredores de biodiversidade que tanto falamos hoje em dia", lembrou a gerente da Unidade de Conservação, Leliana Casagrande.

Unidade de conservação

O Parque abrange hoje uma área de 690 hectares dos quais aproximadamente 675 hectares são cobertos por vegetação florestal, considerando-se a Floresta Semidecidual Montana, a Floresta Secundária e as áreas de reflorestamento.

O parque é importante não apenas por sua extensa vegetação florestal, mas sobretudo pelo estado de conservação e diversidade se sua fauna e flora.

Atualmente, este remanescente está circundado pela cidade de Londrina e por áreas ocupadas pela agricultura e pecuária, sujeito a ações do homem. "Nós temos o desafio de manter o desenvolvimento econômico e social do Estado e ao mesmo tempo promover a preservação ambiental. Por isso essa área se faz cada vez mais significativa", explicou o presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

Parcerias

Para a efetivação de programas, promoção de visitação e gerenciamento, o parque conta com a parceira de empresas, cooperativas e outras entidades. Estas instituições, chamadas de "Amigos da Mata", também foram homenageadas no evento de comemoração do aniversário da Unidade de Conservação.

"O parque é um grande exemplo de parcerias bem sucedidas. Nós entendemos que o Estado não tem o objetivo de tocar sozinho as Unidades de Conservação. Casos semelhantes no Brasil e no mundo que apontam para isso. O papel de cuidar dessas áreas é de toda a sociedade, que deve compreender a importância da preservação", explicou o diretor de Biodiversidade e áreas protegidas do IAP, Guilherme de Camargo Vasconcellos.

Conservação

A Paraná possui mais 78 Unidades de Conservação – 10 federais e 68 estaduais. Elas somam mais de 2.600.914 de hectares de áreas protegidas.

As 68 Unidades de Conservação estaduais perfazem uma área superior a 77 mil hectares distribuídos entre Áreas de Proteção Ambiental, Parques Estaduais, Florestas Estaduais, Áreas de Relevante Interesse Ecológico, Reservas Biológicas, Hortos Florestais, Reservas Florestais e Estações Ecológicas. Destas, 29 são abertas à visitação e receberam mais de 1,3 milhão de visitantes.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios