Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O serviço já foi realizado na Avenida Arthur Thomas e na Praça Dom Pedro I; novas ações devem ocorrer semanalmente

A Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA) realizou, no sábado (4), o plantio de mudas de árvores próprias para arborização urbana, em Londrina. Os trabalhos foram realizados na Avenida Arthur Thomas, região oeste, e na Praça Dom Pedro I, no Jardim Shangri-la que está sendo revitalizada. O plantio das árvores mais a jardinagem dos espaços públicos estão sendo feitos por servidores da SEMA, juntamente com apenados do Centro de Reintegração Social de Londrina (CRESLON).

Segundo o secretário municipal do Ambiente, José Roberto Behrend, o convênio do Município com o Creslon foi firmado no início de maio. “O convênio prevê a utilização dessa mão de obra na realização de diversos serviços da pasta. Isso viabilizou a participação dos seis apenados que estão trabalhando em conjunto com a equipe de plantio da SEMA”, informou.

A expectativa é que os plantios sejam realizados semanalmente em todas as regiões da cidade. “É um trabalho que será feito simultaneamente aos demais serviços e atribuições da SEMA. Para a ação de sábado (4), utilizamos mudas específicas para a arborização urbana, que são o ipê e a escova de garrafa. São utilizadas mudas com uma média de dois metros de altura, aproximadamente, e entre as espécies disponíveis também temos oiti, quaresmeira, entre outras”, citou o secretário do Ambiente.

Behrend frisou que a atuação dos apenados do Creslon contribuiu diretamente para que o plantio das árvores ocorra semanalmente. “Com essa iniciativa, conseguimos reforçar as ações de plantio. Em breve, uma nova equipe da empresa contratada pelo Município fará a erradicação das árvores e, com isso, as equipes da SEMA terão uma dinâmica ainda melhor para se concentrar nos plantios e demais serviços”, explicou.

Dentre os benefícios diretos citados pelo plantio de novas árvores pela cidade, o secretário apontou a influência no microclima. Redução da poeira e ruídos, conforto térmico e melhorias na paisagem urbana também são alguns deles.

“Nosso trabalho deve atingir toda a área urbana da cidade, com novas mudas plantadas em todas as regiões. Mas, nesse primeiro momento, a prioridade se dará nos locais em que um estudo desenvolvido pela UTFPR identificou que houve a erradicação de árvores sem o plantio na sequência. Então essas são as nossas áreas prioritárias atualmente, depois poderemos ampliar a atuação”, definiu.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios