Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) apresentou, ontem (10) na Assembleia Legislativa do Paraná, o projeto de lei 638/2021 que prevê que nos prédios de propriedade do Estado do Paraná deverão ser instaladas placas de energia solar fotovoltaica com o objetivo de que produzam boa parte da energia consumida.

A proposta objetiva contribuir para um Estado mais sustentável e, ao mesmo tempo, criar alternativas financeiras para economia nos custos das tarifas de eletricidade das instalações. De acordo com o projeto a implantação do sistema de energia elétrica solar fotovoltaica será feita em conexão com a rede existente, de forma a nela injetar o excedente de energia produzida ou dela valer-se em caso de insuficiência da produção solar.

Na justificativa da proposição o deputado descreve que a energia solar fotovoltaica é uma energia de fonte renovável e constante, não traz danos ao meio ambiente por não depender de uma grande área de instalação. Seus resíduos são eliminados para que evitem a poluição ambiental, evitando também o desmatamento e outros impactos negativos.

Para o deputado, a adoção desta iniciativa no território paranaense contribuirá com o ganho ambiental e ainda prevê que o Poder Executivo Estadual deverá incentivar a adoção de iniciativas de sustentabilidade ambiental e eficiência energética no âmbito dos Municípios indicando que a energia excedente seja priorizada na melhoria e ampliação dos sistemas de iluminação pública.

 “A tecnologia envolvida nos sistemas fotovoltaicos vem avançando ano após ano, trazendo mais eficiência, sustentabilidade e economia a quem decide investir nela. Isso não é diferente para os cofres públicos, que têm a vantagem de fazer processos licitatórios para adquirir o que se tem de melhor no mercado por um preço justo, fazendo o seu investimento se pagar em menos tempo e gerando economia não só ao órgão licitante diretamente, mas também à população, indiretamente”, destaca o deputado Luiz Fernando Guerra.

Segundo Guerra o mercado de energia solar fotovoltaica está em expansão no Brasil e de acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a projeção para este ano é de um aumento de 68% em relação à potência atual. Até dezembro, o país deve atingir 12,56 gigawatss (GW) de capacidade instalada. E, no embalo dessa tendência, o poder público também está aderindo a esta nova tecnologia, mais limpa, sustentável e econômica, afirma o parlamentar.

Exemplo

Em Curitiba, o prédio da Prefeitura é um dos exemplos a ser seguido. Desde 2019 o imóvel passou a gerar parte da energia consumida com placas fotovoltaicas instaladas no telhado do prédio.

O deputado Luiz Fernando Guerra destaca que além de ser considerada uma das melhores fontes de geração de energia elétrica em comparação com outras fontes renováveis, a energia solar fotovoltaica se apresenta como sendo a melhor alternativa de sustentabilidade por expandir a oferta de energia com o menor impacto ambiental, disse.

“Liderar essa iniciativa através do próprio exemplo será um passo importante para que possamos transformar o Paraná em um Estado sustentável e colaborador e promotor das mudanças globais, que priorizam projetos e construções de baixo impacto ambiental a fim de que possamos legar um mundo melhor para nossos filhos”, cita a mensagem justificativa.

O projeto segue para análise e pareceres das Comissões permanentes da Assembleia Legislativa.

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.