Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A promotoria do Meio Ambiente anunciou ontem (29/7), durante reunião na Câmara de Vereadores, que vai punir exemplarmente, por meio de multas e apreensão de veículos e equipamentos, as pessoas  físicas ou jurídicas flagradas fazendo despejo irregular de lixo na cidade.  Ao lado de outros representantes de órgãos públicos, a  promotora Solange Vicentin participou da reunião convocada para a tarde desta terça-feira pelo vereador Roberto Fú (PDT), para novo debate sobre o despejo irregular de lixo em terreno localizado no jardim Marabá (região Leste), às margens da linha férrea.

Na verdade, a denúncia sobre a existência de uma área com mais de 500 metros de extensão no Jardim Marabá, por onde se espalha lixo de diferentes categorias depositados a céu aberto, foi apresentada pelo vereador Roberto Fú (PDT), no dia 26 de junho. Embora a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) esteja trabalhando na remoção do entulho, o vereador lamentou o fato de que moradores da região registraram durante a noite da última segunda-feira (28/7) o descarte de uma grande quantidade de gesso naquele local.  “Descobrimos que o lixo veio da cidade de Cambé, o que é um absurdo!”, disse o vereador.

Ainda segundo Roberto Fú, durante a reunião desta tarde,  CMTU garantiu que prosseguirá na limpeza e logo depois,  a construtora Sena, proprietária do local,  fará o  fechamento da área até a execução do projeto de habitação, planejado para o lote. “Também vamos localizar os demais proprietários de terrenos naquela região e pedir para que adotem a mesma providência, Esperamos ainda a intensificação do trabalho de fiscalização da Secretaria do Meio Ambiente,, da CMTU e do Instituo Ambiental do Paraná, além da medida já anunciada pela promotor”, afirmou o vereador. 

De seu lado, o presidente da CMTU, Carlos Geirinhas, também presente ao encontro,  disse que a partir de amanhã a Companhia vai exigir a identificação das caçambas por meio de um chip, permitindo desta forma o georreferenciamento dos equipamentos utilizados pelas empresas prestadoras e serviço na área de coleta e transporte de lixo, bem como o monitoramento dos locais onde o material está sendo depositado. “Verificamos que o descarte irregular, na maioria das vezes, é proveniente de grandes geradores, que transportam o material em caçambas ou caminhões”, informou Geirinhas.

O presidente da CMTU também comunicou que o Governo do Estado vai financiar a instalação em Londrina de dez Postos de Entrega Voluntária (PEVs), proposta que permitirá o monitoramento dos pequenos geradores de resíduos. O recurso será liberado pelo Programa Paraná Cidades  e prevê ainda a instalação, na cidade, de uma Usina de Reciclagem adquirida há pelo menos duas décadas pela  prefeitura de Londrina e até hoje armazenada na sede da empresa fornecedora, na vizinha cidade de Cornélio Procópio.

Ainda participaram do encontro desta tarde na Câmara de Vereadores, representantes da Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA), Companhia de Habitação de Londrina (COHAB), Instituo de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL), Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Assessoria de Comunicação da CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios