Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa assinou ontem (01), o decreto que regulamenta a criação da Rede Estadual de Direitos Animais (REDA), que será responsável pela elaboração e implantação da política estadual de direitos dos animais no Paraná. A medida alcança todo tipo de animal, mas principalmente os domésticos, que convivem com as pessoas, como cães e gatos, e os domesticados, como cavalos, porcos, cabras, coelhos. Ou seja, os que nunca tiveram política de proteção no Estado.

A coordenação da Rede será responsabilidade da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. No ano passado, o governo estadual promoveu seminários regionais para ouvir a população e os setores envolvidos com a proteção de animais no Paraná. “Depois de ouvir a sociedade e as entidades, criamos esse importante grupo, que vai definir ações para garantirmos a defesa dos direitos dos animais no Estado. Hoje, a sociedade está preocupada com a situação desses bichos que são muitas vezes maltratados e explorados”, afirmou o governador.

Richa disse que a criação de uma política de proteção dos animais é uma necessidade da sociedade e também uma meta prevista no seu plano de governo. Ele lembrou que quando foi prefeito de Curitiba proibiu a utilização de animais em circos e criou as leis que punem maus tratos. “Estamos agora reproduzindo essas ações para o Paraná, que ainda não tinha uma política pública nesta área”.

O governador disse que as organizações não-governamentais de proteção aos animais carecem do apoio e suporte do Estado. “A partir de agora elas têm um forte aliado para conseguir os avanços necessários. Nosso estado respeita, zela e cria políticas públicas que servem de exemplo para todo o Brasil”, afirmou Richa.

COMBATE À VIOLÊNCIA - O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, disse que a previsão é que no orçamento do próximo ano o governo estadual destine recursos financeiros para apoiar campanhas e entidades que combatam a violência e a exploração de animais. “Esse é um reconhecimento claro do compromisso do Estado com esse setor, que durante muitos anos ficou abandonado. Temos agora uma política pública que reconhece e luta pelos direitos dos animais”, afirmou Cheida.

O secretário explicou como será o funcionamento da Rede Estadual de Direitos Animais. “Serão promovidas ações integradas com instituições de ensino e pesquisa, entidades de representação profissional, organizações da sociedade civil, organizações privadas e demais instituições. Queremos mudar a situação dos animais para melhor e de maneira definitiva”, afirmou ele.

Para Soraia Simon, presidente da Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba, a REDA será um instrumento de conscientização da população sobre os direitos dos animais. “O maior problema atualmente é a falta de respeito da população para com os bichos, que muitas vezes são abandonados ou explorados”, disse. Ela também comentou a importância da presença do poder público nesse trabalho. “Precisamos do Estado para orientar e educar a população”, afirmou. A entidade foi criada em 1972 e cuida atualmente de cerca de 900 animais.

Para garantir a eficiência da proteção dos direitos dos animais, a REDA replicará sua estrutura em 12 células regionais: Paranaguá, Curitiba, Guarapuava, Francisco Beltrão, Ponta Grossa, Londrina, Jacarezinho, Maringá, Ivaiporã, Cianorte, Goioerê e Foz do Iguaçu. Na opinião de Kátia Dittrich, protetora independente da organização Ajude os Animais, a descentralização das ações é fundamental para efetividade das políticas públicas. “Precisávamos com urgência de uma rede como essa. Sem dúvida um marco para nossa luta”, afirmou.

Agência de Notícias PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios