Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa e o presidente da Copel, Luiz Fernando Leone Vianna, lançaram, nesta quinta-feira (27), em Salto do Lontra, no Sudoeste do Paraná, o maior programa de investimentos na área rural já implementado no Paraná. O Mais Clic Rural vai aplicar R$ 500 milhões na melhoria da qualidade do fornecimento de energia elétrica para consumidores do campo, com foco em atividades agropecuárias de importantes processos produtivos. 

O objetivo do programa é fornecer aos produtores rurais energia elétrica com qualidade equivalente a de grandes centros urbanos. “Um benefício muito grande, visto que a força e economia do Paraná é basicamente de agricultura. Então, nada mais inteligente do que fortalecermos a agricultura e pecuária do estado, porque contribuem para a geração de empregos, renda, fortalecimento da nossa economia”, afirmou Beto Richa, ao lado do prefeito em exercício de Salto do Lontra, Fernando Cadori, e do prefeito licenciado, Maurício Bau. 

O governador disse que o Mais Clic Rural aprimora um grande programa, o Clic Rural, implantando no governo José Richa, que garantiu a permanência das famílias no campo, com mais qualidade de vida e renda a partir da transformação dos seus produtos lá no meio rural. 

“Agora é um avanço ainda maior. O Mais Clic Rural vai garantir qualidade à energia fornecida ao campo, com estabilidade, diminuição ou eliminação dos picos de energia. Isso vai proporcionar mais um importante avanço para as famílias do campo”, afirmou o governador. 

Dentro do programa, a Copel vai implementar a tecnologia de redes inteligentes no interior do Paraná. Serão construídos 3 mil km de novas redes, cerca de 30 subestações, e instalados 1,5 mil religadores automatizados. 

As obras atuam em duas frentes: melhoria da infraestrutura para aumentar a continuidade do fornecimento de energia e tecnologias de automação para restabelecer o sistema com muito mais rapidez em caso de falta de energia. 

Ao todo, o Mais Clic Rural vai beneficiar diretamente cerca de 70 mil produtores das regiões Centro-Sul, Sudoeste e Oeste do Paraná. Essas áreas abrigam a maior concentração de fumicultores, aviários, suinocultores e produtores de leite no Estado, nichos agroindustriais mais sensíveis à qualidade do fornecimento de energia. No entanto a expectativa é que os investimentos na rede elétrica beneficiem 2,4 milhões de moradores dessas regiões. 

Durante o lançamento do programa, o governador e o presidente da Copel inauguraram a Estação de Chaves de Salto do Lontra, que emprega equipamentos e sistemas modernos de automação e proteção para regular a tensão e restabelecer o fornecimento de energia em tempos muito curtos. Com investimentos de R$ 2 milhões, a unidade vai favorecer 7 mil unidades consumidoras, dentre as quais 536 criadores bovinos, 318 avicultores e 43 suinocultores. 

“O Mais Clic Rural vai trazer melhorias significativas para importantes áreas produtivas do Paraná. Estamos empenhados em contribuir para que o fornecimento de energia ofereça aos segmentos agroindustriais um diferencial competitivo para o Estado”, afirmou o presidente da Copel, Luiz Fernando Leone Vianna. 

O secretário de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, lembrou que a energia é um insumo essencial para a agropecuária. “É uma demanda intensa, com muitos equipamentos em todas as formas de produção agrícola, especialmente em produção de frango, ovos, suínos, leite”, disse ele. Em períodos quentes, de grande demanda, aumenta a interrupção do fornecimento, com perdas razoáveis da produção. “O programa é uma qualificação no fornecimento de energia, garantir religamento mais automático e reduzir o número de horas sem energia”, afirmou.

O diretor da Copel Distribuição, Vlademir Daleffe, disse que a tecnologia já está presente no meio rural e que é preciso acompanhar a evolução. “O objetivo do Mais Clique Rural é dotar o sistema já existente com tecnologia de ponta para que o consumidor seja pouco afetado quando as interrupções acontecerem”, destacou. 

REDES RURAIS INTELIGENTES - Com o Mais Clic Rural, a Copel inova ao levar para o campo uma tecnologia empregada em maior escala nas cidades. As redes inteligentes - ou smart grid, como são conhecidas - combinam uma série de inovações tecnológicas que contribuem para reduzir o número e o tempo dos desligamentos na rede elétrica. Os equipamentos de automação instalados na rede se comunicam com o centro de operações da Copel, o que permite monitoramento constante da qualidade do fornecimento de energia. 

Em caso de desligamento, o próprio sistema trabalha para restabelecer a energia o mais rápido possível, em alguns casos sem a necessidade de intervenção humana. 

PRESENÇAS – Participaram da solenidade de lançamento do programa o diretor-presidente da Celepar, Jacson Carvalho Leite; o presidente do Instituto Ambiental do Paraná, Luiz Tarcísio Mossato Pinto; o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano, os prefeitos de Éneas Marques, Maikon André Parzianello; Nova Esperança do Sudoeste, Jair Stange; Santa Izabel do Oeste, Moacir Fiamoncini; de Boa Esperança do Iguaçu, Claudemir Freitas; de Mariópolis, Mário Paulek; de Ampére, Hélio Alves; os deputados estaduais Paulo Litro, Guto Silva e Vilmar Rechemback; além de funcionários da Copel. 

Box 

ELETRIFICAÇÃO RURAL NO PARANÁ 


Iniciada pela Copel na década de 1960, a eletrificação rural no Paraná se disseminou por todo o estado com o lançamento do Clic Rural, em 1984. O programa viabilizou 163 mil ligações em pouco mais de seis anos, alcançando mais da metade da população rural no Estado. 

Nas décadas de 1990 e 2000 seguiram-se outros programas, como o Força Rural e o Luz no Campo. Em 2012, após a Companhia concluir todas as fases do programa Luz para Todos, o Paraná conquistou a universalização do fornecimento de energia elétrica. Inspirado no programa pioneiro da década de 1980, que se preocupou com a quantidade de consumidores rurais ligados, o Mais Clic Rural lança uma nova era na eletrificação no campo, ao reunir esforços para que a qualidade da energia fornecida aos produtores rurais seja equivalente aos centros urbanos. 

FINANCIAMENTO DE GERADORES - O Governo do Estado também está formatando um programa de financiamento de geradores de energia para os produtores rurais. 

Embora já existam várias linhas de crédito para estes equipamentos, o governo deve lançar, ainda este ano, um programa específico, com alguns benefícios, para incentivar os produtores a adquirir os geradores para melhorar a segurança energética, principalmente nas áreas não beneficiadas pelo Mais Clic Rural. 

“Os produtores rurais terão uma série de facilidades, por meio da Secretaria da Agricultura, para adquirir geradores a um custo bastante baixo e com financiamentos acessíveis, para cobrir as eventuais lacunas que possam ocorrer na distribuição de energia”, explicou o presidente da Copel, Luiz Fernando Vianna. 

Box2 

COPEL, DEFESA CIVIL E CELEPAR ASSINAM CONVÊNIO 


O governador Beto Richa também assinou em Salto do Lontra um convênio entre Copel, Defesa Civil e Celepar com o objetivo de ampliar a gestão de riscos e desastres naturais no Estado. “O Governo do Estado se preocupa em melhorar o serviço para a população”, disse o governador. “Temos visto a frequência e intensidade de fenômenos climáticos, com fortes chuvas, inundação. Esta parceria vai possibilitar a preservação das famílias e também a prevenção, o que possibilita preparar toda a população para o enfrentamento, com segurança, destes fenômenos”, afirmou Richa. 

Pelo convênio, a Defesa Civil passará a ter acesso à base de dados cartográfica da Copel, a dados hidrológicos e a localização geográfica dos postes das redes de distribuição de energia que tenham unidades consumidoras associadas, os quais subsidiarão a ampliação da gestão de riscos de desastres naturais. 

“Isso representa uma melhoria no sistema da Defesa Civil, que já está todo automatizado. Dentro do projeto de prevenção que fazemos, mapeando as áreas de risco, teremos acesso a todas as residências que existem naquele local”, explicou o coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Adilson Castilho Casitas. “Numa situação de desastres, saberemos exatamente quais são as residências atingidas”, disse ele. 

Por outro lado, a Defesa Civil manterá atualizadas as informações cadastrais das famílias em áreas de interesse da Copel, importante para eventuais ações emergenciais durante a operação de suas usinas hidrelétricas. 

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios