Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Chuvas tiveram redução de 50% entre outubro e dezembro de 2015

O ano de 2016 deverá ser muito mais seco do que os anos de 2005 e 2010, períodos de seca severa na Amazônia. A conclusão é dos pesquisadores da agência espacial americana, Nasa (National Aeronautics and Space Administration).

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), que vem monitorando a distribuição das chuvas no Brasil, mostra que nos últimos dois anos tivemos chuvas muito abaixo das normais climatológicas em quase todo os estados, em especial na região Amazônica.

O agravamento da falta de chuva é provocado pelo El Niño (anomalia climática que causa o aquecimento das águas da superfície do Oceano Pacífico). Com isso, a Amazônia está com menos umidade e as árvores se tornam mais vulneráveis às queimadas, que deverão bater recorde nos próximos meses.

Os efeitos deste El Niño começaram em 2015, com influência sobre o padrão de chuvas em grande parte do Brasil e do mundo.

Na região amazônica as precipitações da estação chuvosa, verificadas no último trimestre de 2015, diminuíram cerca de 50% comparadas a média normal. Esse cenário, de tamanha intensidade de redução das chuvas, não era registrado desde 2002.

Asimp/Mapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.