Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Medidas incluem reforço na segurança da área, restrição dos pontos de acesso e melhor gerenciamento na destinação dos restos de árvores

O secretário municipal do Ambiente, José Roberto Behrend, apresentou, nesta segunda-feira (14), uma série de medidas que estão sendo aplicadas em relação à destinação de resíduos de árvores. Atualmente, os galhos e troncos de árvores recolhidos no município são encaminhados para a Fazenda Refúgio. Porém, o local tem sido alvo frequente de atos de vandalismo, como o incêndio que ocorreu no sábado (12). Com o plano de ações, a expectativa é aumentar a segurança da área e providenciar nova destinação aos materiais.

Behrend afirmou que, pela manhã, reuniu-se com técnicos da Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA), e representantes da Guarda Municipal, Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e Sanepar. De imediato, o grupo optou por agir reforçando a segurança do local. “Vamos focar na prevenção, a Guarda Municipal se prontificou a, neste primeiro momento, intensificar as rondas na região. E hoje faremos um ofício, que será encaminhado para a Polícia Militar Ambiental, até porque a área tem um viés ambiental e existe um equipamento estadual ali, que são as estações de tratamento da Sanepar. Vamos solicitar que a Polícia Ambiental faça a ronda e monitoramento da área com mais frequência, para que, com mais presença das forças de segurança, a gente consiga evitar as ações dos vândalos”, detalhou.

Outra medida para melhorias na segurança da área refere-se à restrição dos pontos de acesso à Fazenda Refúgio. A equipe da CMTU e da Sanepar ficaram responsáveis por dificultar esse acesso em uma das entradas, e a SEMA também deverá estudar meios para restringir seu único acesso. “Também já foi pedido para a Guarda Municipal, o videomonitoramento. Queremos, em um prazo de tempo mais curto possível, colocar isso em prática para monitorar a área e ter uma resposta mais rápida, seja para ações de âmbito da Polícia Militar Ambiental ou da própria Guarda Municipal”, complementou.

Licitações

Para tornar mais efetivo o gerenciamento dos resíduos que são recolhidos na Fazenda Refúgio, o secretário municipal citou duas licitações do Município. A primeira delas teve a abertura das propostas na última sexta-feira, por meio da CMTU, e está nos trâmites para sua homologação. A empresa vencedora do certame deverá, dentre outras medidas, prestar serviços para limpeza geral, coleta e transporte de resíduos, inclusive galhos e demais materiais semelhantes que estejam nas vias do município, sejam da área urbana ou rural.

Segundo Behrend, um dos principais benefícios com a contratação deste serviço pelo Município é em relação ao uso do maquinário apropriado para recolhimento dos galhos de árvores. “A empresa será contratada para atuar na cidade com nove caminhões e um triturador, que fará o processamento dos galhos e atendimentos aos Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) das regiões norte e sul. Esse material que foi para a Fazenda Refúgio é decorrente das ações tomadas, em especial pela Defesa Civil, em que o pessoal faz a limpeza de forma emergencial, restando os galhos para a CMTU retirar. Com esses equipamentos, a empresa já vai processar esse material, para que não seja descartado da maneira que está sendo feita atualmente”, detalhou.

Outra licitação, que está com edital em preparação, deverá ser publicada em breve, e tem como objeto a remoção de árvores de grande porte. O edital prevê que a empresa,a ser contratada, também faça a trituração dos resíduos e a destinação do material.“Isso vai melhorar muito a eficiência da nossa arborização. O material residual que é produzido hoje tem pouco potencial de utilização, mas quando ele é processado pode ser aproveitado por indústrias como uma fonte de energia”, citou Behrend.

Juliana Gonçalves/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios