Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Meio Ambiente 22/12/2017  15h37

Sema faz balanço dos projetos de educação ambiental

Mais de 9.500 pessoas foram atendidas em 2017, em diversos projetos desenvolvidos com o intuito de promover a preservação do meio ambiente

A Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) divulgou ontem (21) o número de atendimentos realizados em 2017 pela Gerência de Educação Ambiental da pasta. Ao todo, os cinco trabalhos permanentes desenvolvidos pela Sema atingiram 9.595 pessoas, levando o trabalho de educação ambiental a públicos diversos. Entre os projetos estão a “Biblioteca Móvel Ambiental”, com atendimentos nas escolas e em eventos, palestras ambientais, “Descobrindo o Parque”, “Cultivando o Verde” e o “Ecocidadão nas Escolas”.

Além dos projetos permanentes, ao longo do ano, foram promovidas várias ações, em parcerias com outros órgãos, como, por exemplo, a Defesa Civil. Em datas ambientais, como o Dia da Árvore, Dia das Aves, Dia do Rio, Dia da Água, entre outras, a Sema realizou atividades comemorativas relacionadas aos temas, como oficinas e palestras.

Para a secretária municipal do ambiente, Roberta Queiroz, as ações de educação ambiental, principalmente as desenvolvidas com as crianças, faz com que elas entendam a interlocução entre suas práticas individuais e como elas impactam no ambiente. “É muito importante, especialmente para promover uma educação crítica em relação às questões ambientais”, frisou.

Segundo a gerente de Educação Ambiental da Sema, Cristina Borba, os trabalhos voltados à educação ambiental visam atingir sempre o maior número de atendimentos. “Nós queremos alcançar o maior número de pessoas possível, para mostrar a importância de cuidar para que todos nós possamos usufruir de um ambiente melhor”, disse.

Escolas, grupos e pessoas interessadas em participar de algum dos projetos poderão fazer o agendamento dos atendimentos a partir do próximo dia 15 de janeiro. O contato deverá ser feito com a Gerência de Educação Ambiental da secretaria, pelo telefone 3372-4768 ou 3372-4769.

Os projetos – A Biblioteca Móvel Ambiental possui um acervo de livros, gibis, revistas e outros materiais educativos, relacionados a temas ambientais. O ônibus que abriga a biblioteca itinerante percorre as escolas, onde alunos assistem a vídeos e filmes, fazem leituras e debates sobre preservação, entre outras atividades. A biblioteca também faz atendimentos em eventos, dirigindo-se a outros tipos de público. Neste ano, 7.212 pessoas visitaram o ônibus.

As palestras ambientais realizadas em 2017 trataram sobre diferentes temas, como arborização, compostagem e água. Com estas ações, a gerência de Educação Ambiental atingiu um total de 947 participantes nas palestras.

O projeto Descobrindo o Parque levou 1.176 visitantes ao Parque Arthur Thomas. Com o intuito de mostrar aos participantes a importância da área para a cidade, são realizadas visitas monitoradas, em que eles aprendem sobre a história, hidrografia, flora e fauna local, com biólogos, geógrafos e outros servidores da secretaria.

Quanto à realização das visitas monitoradas, a secretária do Ambiente ressaltou que, além de ser um passeio contemplativo, resulta também em aprendizado e troca de conhecimento. “É uma experiência de apropriação dos nossos espaços naturais”, ressaltou.

No “Cultivando o Verde”, as visitas guiadas ocorrem no Viveiro Municipal. O objetivo é conscientizar e sensibilizar sobre a importância das árvores para o ambiente urbano, mostrando o crescimento das mudas, desde o processo de germinação ao plantio. Foram realizados 221 atendimentos no viveiro em 2017.

Já o “Ecocidadão nas Escolas” teve início em novembro deste ano, como um projeto piloto e, em menos de dois meses, alcançou 219 alunos. Por meio de uma parceria com a Secretaria Municipal de Educação, a ação é direcionada aos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O projeto prevê aulas, por meio de conversa, que provoquem no público adulto uma reflexão sobre questões ambientais importantes para a cidade. A temática abordada nesta primeira etapa de aulas são as queimadas em ambiente urbano, devido à quantidade de denúncias registradas pela secretaria.

As ações  do projeto deverão prosseguir em 2018, já no início do período letivo, promovendo um trabalho contínuo com os estudantes, até o final do ano. A intenção é que sejam abordados novos temas ambientais, sugeridos pelos próprios participantes.  

Os demais trabalhos também deverão ser mantidos para o próximo ano e a expectativa é que sejam desenvolvidos ainda novos projetos de educação ambiental.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.