Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Objetivo é reduzir a população dos insetos, que têm formado formigueiros grandes em todas as regiões da cidade, causando preocupação

A Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) pretende discutir algumas medidas de controle de formigas em locais públicos com o Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). A medida visa controlar o aumento da população destes insetos, que têm aumentado de forma considerável na cidade. A principal espécie encontrada em Londrina é a saúva Atta sexdens piriventris, conhecida popularmente como saúva limão.

Frequente na região sul, esta espécie faz ninhos grandes e formados por várias câmaras, que podem abrigar de 3 a 5 milhões de formigas no mesmo espaço. Além de atacar as culturas, cortando folhas e ramos, elas podem destruir completamente a planta. Por isso a necessidade de controle da espécie que, em Londrina, tem sido encontrada em todas regiões da cidade, com maior incidência nas regiões oeste e sul, como em fundos de vale. Há formigueiros na cidade que chegam a 1,5 metro de altura.

Na avenida Bento Amaral Monteiro, por exemplo, no jardim Campos Verdes, zona norte da cidade, existe grande concentração delas no canteiro que divide as pistas, chegando a invadir parte da avenida. Os técnicos da Sema estiveram ontem (12) no local, para fazer o controle químico. O resultado da ação deverá ser avaliado na próxima semana.

Segundo o engenheiro agrônomo e diretor Operacional da Sema, Marcus Vinícius Tersariol, na próxima semana deverá ser agendada uma reunião com o Departamento de Agronomia da UEL e Emater para discutir o assunto. “Temos feito o controle químico com isca formicida, mas queremos avaliar outras formas de controle da espécie, para tentar reduzir a população destas formigas”, contou.

Tersariol informou que recentemente a Sema concluiu uma licitação para aquisição de cinco mil quilos de isca formicida, que deve chegar em breve no município, e já vai preparar outro processo licitatório, para adquirir mais dez mil quilos. “Pretendemos fazer uma varredura na cidade, para aplicar a isca, que visa a eliminação da formiga rainha. Estamos planejando uma ação efetiva geral, pois o produto tem que ser aplicado de forma correta e na medida certa, para não haver resistência e, consequentemente, não ter a eficácia desejada”, explicou.

Dayane Albuquerque/NC/PML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.