Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Encontro discutiu parcerias e projetos voltados à sustentabilidade ambiental e à indústria 4.0

O Sistema Fiep recebeu, na quarta-feira (27), a visita do cônsul-geral da Alemanha em São Paulo, Thomas Schmitt, e do cônsul-honorário da Alemanha em Curitiba, Andreas Hoffrichter. Em encontro com o presidente da entidade, Carlos Valter Martins Pedro, foram abordadas questões relacionadas à sustentabilidade ambiental, com destaque para projetos voltados ao hidrogênio verde – expressão que faz referência ao processo de obtenção de energia por meio de fontes renováveis, sem emissão de carbono. Também foram discutidas parcerias e ações que para disseminação da indústria 4.0, sobretudo nas pequenas indústrias.

Em junho de 2020, o governo alemão publicou a Estratégia Nacional de Hidrogênio, cujo objetivo é neutralizar até 2050 quase que completamente as emissões de gases de efeito estufa em todos os setores. Com isso, o país também pretende ampliar o mercado para geração de energias sustentáveis. “O Brasil tem muito potencial para evoluir no que diz respeito ao meio ambiente, mas precisa ser autocrítico e promover ações para desconstruir a imagem que tem no exterior. A Alemanha já errou muito no passado, reconheceu seus erros e buscou acertar”, comenta Schmitt.

O presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, concordou com a necessidade de se evoluir em relação ao tema. “As energias limpas serão cada vez mais valorizadas pelos consumidores e pelas empresas daqui para a frente. E temos tudo para evoluir no que diz respeito ao hidrogênio verde, mas isso precisa ser trabalhado de forma mais institucional no Brasil”, comenta. Também presente no encontro, Max Forte, presidente da indústria de autopeças Brose e coordenador do Conselho Setorial Automotivo da Fiep, acrescentou: “É preciso, ainda, pensar na sustentabilidade em toda a cadeia produtiva, não basta o produto ser sustentável e seu processo de produção não”.

A indústria 4.0 foi outro aspecto discutido na reunião. O tema, inclusive, é um dos focos da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, segundo Andreas Hoffrichter, que, além de cônsul-honorário, é diretor da entidade. “Podemos potencializar essa metodologia por meio de integração com startups, que levam mais agilidade e simplicidade aos processos”, diz. “A indústria 4.0 está muito presente na Alemanha, mesmo nas pequenas indústrias. Precisamos ampliar essa sinergia entre o Paraná e a Alemanha para desenvolver soluções com foco em aumentar a nossa competitividade”, completa o presidente do Sistema Fiep.

Cooperação com a região de Baden-Württemberg

O Sistema Fiep tem acordos de cooperação com instituições de Baden-Württemberg, na Alemanha. Um deles, firmado com o Ministério da Economia do estado alemão, tem o objetivo de incrementar o intercâmbio tecnológico e a aproximação para negócios entre empresas do Paraná e do país europeu. Os outros dois convênios têm como foco principal a geração de energias renováveis: um é com o Solar Cluster de Baden-Württemberg e tem foco em energia solar, e o outro, voltado a projetos de biogás, é com a Universidade de Hohemheim.

Também participaram da visita Ewald Stirner e Priscila Milan, da representação de Baden-Württemberg no Sistema Fiep, e Cláudia Schittini Chiesse, coordenadora de Relações Internacionais do Sistema Fiep.

Patrícia Gomes/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.