Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Papo de Esporte 13/06/2013  16h35

Chegou a hora!

Parecia que seria uma eternidade para rolar a bola. Que nada! Brasil x Japão abrem neste sábado a Copa das Confederações e durante 15 dias o torneio vai desviar os olhares do mundo para o país. E apesar dos inúmeros problemas dentro e fora de campo, o Brasil se ajeitou para o evento. Os Estádios ficaram belíssimos, contudo, as obras de infraestrutura passaram longe da adequação necessária. Muito dinheiro público no ralo, mas vamos dedicar algumas linhas aos times participantes.

A campeã mundial Espanha é a grande favorita. Time entrosado e envolvente, creio eu ser o único esquadrão capaz de bater o Brasil. Tem talentos individuais fantásticos como Xavi e Iniesta e um coletivo de dar aula. O Brasil, está ainda em formação, mas tem brilhos individuais que podem decidir uma partida: Neymar, Oscar, Fred, Lucas, Hulk... O time estará bom, a manter essa base, para a Copa do Mundo 2014. Só que, jogando em casa, com o apoio da torcida, pode dar samba. Mas, se a torcida começar a pegar no pé, pode dar tudo errado. Mesmo assim, Brasil é Brasil e, ao meu ver, é o segundo candidato ao título.
 
Medalha de bronze no favoritismo para o México. Atual campeão olímpico, vive uma safra boa e tem jogadores brilhando na Europa, sobretudo Chicharito Hernandez. No quarto posto, aponto o Uruguai, que tem um ótimo porém envelhecido grupo. O grupo Celeste busca um novo Maracannazzo, que até pode ocorrer (toc! toc!), todavia, é pouco provável.
 
A Itália, depois de empatar com o Haiti em São Januário mostrou mais uma vez que joga mais por força da camisa do que da qualidade. Tem tudo para ficar na primeira fase. Alguns lampejos individuais podem prevalecer, mas não me empolgo. A Nigéria, campeã africana, vem muito mudada e perdeu sete titulares por conta de lesão ou indisciplina. Goleia o Taiti e perde de Espanha e Uruguai em sua chave. Já o Japão, se estivesse no grupo B, brigaria com o Uruguai para se classificar. Como caiu no grupo da morte, tem de lutar para não perder os três. Ou melhor, deve empatar com a Itália.
 
O simpático e surpreendente Taiti ganhou a torcida dos brasileiros e ficará muito contente se fizer um golzinho na competição. Vale mais para divulgar o país como destino turístico do que entrar no mapa do futebol. O torcedor precisa entender que, depois do fracasso de Mano Menezes, o Brasil com Felipão/Parreira é outro. Mais vibrante e organizado. Tem tudo para dar certo ano que vem. Neste ano será um baita laboratório, entretanto, o experimento tem tudo para dar certo antecipadamente!
 
Guilherme Lima 
Coordenador de Esportes Rádio Brasil Sul 1290 AM

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios