Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Não, você não leu errado o título não. É isso mesmo. Apesar do brasileiro detestar de perder para argentino seja no truco, palitinho ou qualquer competição, seja ela esportiva ou não, o jogo que aconteceu em Doha no Catar, teve na derrota do Brasil por 1x0 para a Argentina, uma valiosa lição. Foi o resultado ideal, por incrível que possa parecer.

Se não vejamos: havia muito tempo que os hermanos eram fregueses e é melhor perder num amistoso do que na Copa América do ano que vem, que será na casa deles, Mano Menezes pode comprovar que a renovação necessária passa também por uma mescla com jogadores mais experientes e que futebol não é só magia, mas precisa também haver momentos de marcação e entrega.

O jogo serviu para evidenciar também que Ronaldinho Gaúcho é gênio. Mas um gênio domável, já que só aguenta meio tempo. Ele é aquele jogador para entrar faltando 15 minutos com o placar desfavorável e ter a missão de resolver. E só. Ultimamente é isso o que ele vem fazendo no Milan e na Seleção assim será. Sua presença será importante por ser um jogador respeitado e talentoso, mas não tem gás para ser titular. Ganso, quando se recuperar da cirurgia, é o 10 ideal.

Robinho entra no mesmo patamar de Ronaldinho. Joga só meio tempo, contudo ainda é muito útil. Outra conclusão que Mano chegou é a de que o Brasil precisa jogar com um homem de referencia. Faltou um 9. Pato é o mais indicado para essa função. E ficou claro também que Neymar voltou para ficar. Mostrou que é um jogador diferenciado, que tem grande capacidade de improviso e não se intimida.

Agora, o Brasil vai fazer um amistoso no começo de 2011 contra a França e depois deverá ter mais um ou dois testes antes da Copa América em julho. Creio que para essa competição o goleiro Julio Cesar e o zagueiro Lúcio poderão voltar. Ainda como novidade entendo que Kaká, se voltar a jogar o que sabe, fatalmente será lembrado. O time ainda está em formação, porém, resgatou a alegria de jogar. Tem tudo para evoluir e conquistar taças.

Para tirar aquela impressão de encanto e de time dos sonhos, perder para a Argentina devolveu ao Brasil a condição de time batível e que, se não fizer o seu melhor e ter atenção, sairá de campo derrotado. Por isso, por mais que tenha sido dolorido, perder para a Argentina nesse amistoso abriu os olhos para os defeitos. E assim vai ficar mais fácil de corrigir.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios