Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Quanto vale um treinador de futebol? Até que ponto é vantajoso pagar R$ 500 mil, R$ 700 mil para um profissional e o resultado obtido ser insuficiente e não justifica o investimento? Muitos clubes apostam em treinadores consagrados, que ganham essas somas, mas que há muito não conquistam títulos. Você se lembra quando foi o último caneco levantado por Luxemburgo? E Felipão? São ótimos profissionais, contudo, ultimamente, trabalham mais com o nome do que com a atualidade.

Além disso, os interinos estão se saindo muito bem. Ano passado, com Jorginho, o Palmeiras liderava o Nacional. Veio o Muricy e... O Flamengo provou que o interino resolve. Andrade tirou o time do meio da tabela para o hexacampeonato. Nesse ano, dois profissionais chamam a atenção: Sergio Baresi e Marcelo Martellotte. Baresi não mais dirige o São Paulo, todavia deu oportunidades para Casemiro e Lucas, que hoje são conhecidos e titulares do tricolor. Aliás, o São Paulo investe um caminhão de dinheiro por ano na base e tem revelado muito pouco ultimamente.

Depois do episódio da saída de Dorival Junior, o Peixe apostou no técnico tampão e acertou na mosca. Marcelo conquistou vitórias arrasadoras contra Fluminense (3x0 no RJ) e contra o Cruzeiro (4x1). Deu de goleada nos líderes. Nenhum santista fanático poderia prever esses resultados. Méritos para ele.

Esses casos atestam que muitas vezes, o treinador bom, barato e caseiro, é a solução mais viável para um processo de transição de troca de comando. O Grêmio fracassou em 2009 com Paulo Autuori, o Palmeiras tem calafrios com Luxemburgo e Muricy e só para lembrar alguns. O tampão pode, em três, quatro jogos, se configurar em efetivo até o fim de uma competição. A linha que separa o erro e o acerto é minúscula, por isso, trazer um treinador que ganha um valor elevadíssimo e não dá resultados rápidos, não soluciona os problemas. Só gera mais dívidas e insucesso.

Se o planejamento furou, não adianta se desesperar. O certo é ter tranquilidade, valorizar o que tem (se não der para se reforçar), olhar para a base e apostar em Santo de casa, que também faz milagre.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios