Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Brasileirão ainda não engrenou mas quem começa esbanjando talento é a turma da melhor idade. Jogador de futebol quando passa dos 33 já é considerado velho e acabado. Porém, uma turma que passou dessa idade, faz do Campeonato até aqui, ser e ter lances belíssimos e mostrar que não existe ressaca pós Copa das Confederações.

Com incríveis 39 anos, Zé Roberto é um menino no Grêmio. Flutua em campo. Faz gols, dá carrinho, arma e desarma. É um exemplo. Dá gosto de ver jogar. Fora de campo, nunca se envolveu em confusão ou polêmica. Um ano mais novo, Juninho Pernambucano voltou ao Vasco e comandou a expressiva vitória por 3x1 ante ao Fluminense na reabertura do Maracanã para jogos interclubes. Com liderança e amor a camisa, vai dar ao pobre time do Vasco, a chance de, além de não cair, buscar uma vaga na Sulamericana.

Do alto de seus 37 anos, o holandês Clarence Seedorf, com mercado e futebol para jogar onde quissesse, escolheu o Brasil e o Botafogo (ele é casado com uma brasileira e fala fluentemente o português) para ensinar um pouco de seu talento. Craque internacional, dá lição de humildade e comprometimento a quem estiver ao seu lado. Um atleta desse garbo faz do futebol brasileiro um pouco mais internacional e requintado. Para os amantes do futebol arte com a disposição holandesa, ele é um ícone.

O mais jovem da turma do "panela velha é que faz comida boa" é Alex. Aos 35 anos ele comanda o frágil time do Coritiba a brigar pela liderança nessas primeiras rodadas. Eu pergunto ao leitor: Seja no Palmeiras, no Cruzeiro ou no Coritiba, você já viu o Alex fazer um gol feio ou meia boca? Ele só faz golaço! O Alex é daqueles enigmas, tipo Dener, Djalminha e outros mais, que nunca ninguém saberá se com uma boa sequência de jogos enquanto titular da Seleção Brasileira, até onde o talento teria aflorado. 

Claro que está cedo e tem muito a acontecer nesse Brasileirão. Tem muita gente boa para mostar serviço e daqui mais umas quatro rodadas já saberemos, de fato, quem vai brigar pelo quê, contudo, enquanto isso, vamos aplaudindo e aprendendo com essa geração que ainda tem muito a mostrar, apesar da idade.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios