Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Restando três anos para os Jogos Olímpicos 2016, no Rio de Janeiro, a Copa do Mundo por aqui ofusca e abafa qualquer assunto ligado as Olimpíadas. Porém, o Brasil está bem atrasado no cronograma de atividades, construções e apoio esportivo.

Nas atividades testes até aqui, passamos vergonha. O Engenhão, pensado para o Pan 2007 vislumbrando as Olimpíadas 2016 no futebol e no Atletismo, está fechado sem previsão para reabrir. Tirando um evento na praia de Copacabana que trouxe o velocista jamaicano Usain Bolt, o homem mais rápido do planeta, o Brasil não trouxe nenhum grande evento para já ir se acostumando com pluralidade, afinal, a Copa das Confederações englobou só futebol e as Olímpíadas abarcam inúmeras modalidades esportivas simultaneamente em vários locais diferentes.
 
No tocante as construções, só o Maracanã está pronto, pegando carona na Copa do Mundo. De resto, só atrasos e obras no papel. E nesse viés, não somente as edificações esportivas, mas também o tão falado e pouco prático "legado", os benefícios para a cidade e a população pós competição. Nos transportes, mobilidade urbana ou mesmo lazer, até aqui, nada.
 
E o apoio esportivo, o ciclo olímpico, os projetos olímpícos, por enquanto, tudo muito devagar. Quando ficou sabendo que seria sede de uma Olimpíada, a China se programou para não fazer feio em esportes em que não tinha muita tradição e conseguiu. Até a Inglaterra, país pequeno e sem expressão em várias modalidades, não deixou a desejar com esportistas de várias frentes chegando em finais antes improváveis.
 
Não basta só apoiar os atletas tops hoje. Isso é obrigação. O que não estou vendo é mobilização para criar, formar e consolidar novos esportivas, em todas as modalidades das Olimpíadas, para não passarmos vergonha. O bom papel do anfitrião na confraternização universal do esporte não se vê só no quadro de medalhas para qualificar o desempenho do país sede. Se vê também na infraestrutura, organização e planejamento. Ainda dá tempo para o Brasil despertar e o Rio ser lapidado para sediar uma grande competição. A Copa do Mundo vai ajudar, contudo, até aqui, medalha de lata em todos os quesitos para a preparação do país.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios