Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Governo do Estado informou que presos de penitenciárias e cadeias públicas do Paraná já produziram, entre os dias 23 de março e 15 deste mês, mais de 69 mil máscaras, 5,2 mil jalecos, 1,7 mil “face shields” (ou máscaras de acetato, como também é conhecido) e 2 mil peças especialmente para hospitais, como lençóis, fronhas, uniformes, toucas e pijamas.

“Todo mundo ganha com isso! Há economia por parte do Estado e uma maior oferta de equipamentos de proteção individual para a população. Além disso, os presos ganham remição de um dia de pena a cada três trabalhados”, destacou o deputado estadual Cobra Repórter, que foi autor do requerimento na Assembleia Legislativa do Paraná com essa proposta no dia 17 de março.

De acordo com o Governo do Estado, as confecções seguem a regulamentação nacional, sendo que cada máscara é feita com três camadas de tecido. Entre máscaras, jalecos, lençóis e demais produtos, o Departamento Penitenciário (Depen) e a Secretaria da Segurança Pública já repassaram mais de 70 mil itens a hospitais públicos, polícias estaduais, guardas municipais, prefeituras, centros de socioeducação e instituições religiosas.

Em todo o Estado, mais de 200 presos nos canteiros de costura do Depen, mas a ideia é aumentar. “Estamos organizando tudo conforme a demanda e ampliando as vagas de setores de costura. Conforme conseguimos mais máquinas de costura estamos equipando cadeias públicas para que os detentos também possam ajudar”, afirmou o chefe do Setor de Produção e Desenvolvimento (Sepro), Boanerges Silvestre Boeno Filho.

Meire Bicudo/Asimp/Com informações e foto da Agência Estadual de Notícias

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios