Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Dentre os médicos aprovados no Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Ensino Superior Estrangeiras), 48 optaram pelas duas universidades estaduais que contribuem com o programa, para revalidar os diplomas obtidos em instituições estrangeiras. 

O Revalida é obrigatório para quem cursou Medicina em instituições estrangeiras reconhecidas no país de origem, inclusive brasileiros, e deseja atuar como médico no país. 

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) foi indicada por 36 aprovados no exame, e 12 médicos escolheram a Universidade Estadual de Londrina (UEL) como instituição revalidadora de seus diplomas. 

Dos 36 aprovados no Revalida que escolheram a Unioeste, 17 são de nacionalidade brasileira, e 19 são estrangeiros, sendo 15 cubanos, dois paraguaios, um boliviano e um colombiano. 

Desde 2009, que a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) em parceria com o MEC (Ministério da Educação) vem realizando o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida). Além da Unioeste e da UEL, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) também contribui com o programa. 

A Unioeste, assim como a UEL que participam do processo de revalidação, não realizam as provas de aptidão, apenas o recolhimento da documentação imposta pelo MEC, e validação dos diplomas. O processo leva em torno de um ano, já que a entrega dos documentos na Universidade é a etapa final do processo, antecedida, pela prova oral, escrita e prática. 

O Ministério da Educação divulgou no dia 1 de fevereiro deste ano os resultados do Revalida/2016. Os médicos aprovados conquistaram o direito de atuar profissionalmente no Brasil, após terem seus diplomas registrados nas universidades credenciadas junto ao Ministério da Educação (MEC) /Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

O Exame Nacional de Revalidação de Diplomas (Revalida) é uma prova criada pelos ministérios da Educação e da Saúde para simplificar o processo de reconhecimento de diplomas de medicina emitidos por instituições de ensino estrangeiras. 

Para atuar como médico no Brasil, o estudante formado no exterior precisa fazer o reconhecimento do seu diploma para só depois solicitar ao conselho regional de medicina a autorização para trabalhar. 

O Revalida ocorre em duas etapas. A primeira é uma prova escrita com questões de múltipla escolha e discursivas, de caráter eliminatório. Quem atingir a pontuação mínima passa para a segunda etapa, que é um exame prático.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios