Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná realizará nesta sexta-feira (20), a partir das 14 horas, uma audiência pública on-line para dar início no Legislativo à campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra as Mulheres. O encontro, que debaterá a posição da mulher em julgamentos com perspectiva de gênero e raça, ocorre justamente no dia em que se celebra nacionalmente a consciência negra.

 “Nós estamos trazendo para o Paraná o debate sobre essa questão porque, há pouco tempo, tivemos um caso de repercussão nacional onde uma jovem, influenciadora digital, foi humilhada durante um julgamento, justamente, por quem deveria defendê-la. Se a culpabilização da vítima ocorre em casos como esse, com mulheres que possuem influência e são conhecidas, imagina com as que nós não conhecemos? E as socialmente mais vulneráveis, como as negras?”, questiona a deputada estadual Cristina Silvestri (CDN), procuradora da mulher da Assembleia.

O evento é realizado pela Procuradoria em parceria com o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, presidido por Maria Isabel Pereira Corrêa, que também estará presente. Irão compor os debates, ainda, as deputadas estaduais Mabel Canto (PSC), Cantora Mara Lima (PSC), Maria Victória (PP) e Luciana Rafagnin (PT), além dos deputados Luiz Cláudio Romanelli (PSB) e Professor Lemos (PT). Todos são autores da Lei Estadual 20.234/2020, que implantou no Paraná a campanha de ativismo. No Estado, apesar de levar a designação de ‘16 dias de ativismo’ para estar em alinhamento com a campanha nacional, a lei estipula 21 dias de ações de combate à violência doméstica.

A audiência contará, ainda, com a participação de Olenka Lins, coordenadora do Núcleo Itinerante de Questões Fundiárias e Urbanísticas; Helena de Souza Rocha, presidente da Comissão de Estudos sobre Violência de Gênero da OAB PR; Mariana Lopes Bonfim, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB PR; e Lívia Martins Salomão Brodbeck, coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública.

O evento será transmitido ao vivo pelas redes sociais da Assembleia e, também, pela TV Assembleia, canal aberto 10.2 e 16 pela Claro/Net.

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios