Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Acordo foi fechado ontem em Brasília, durante encontro do governador Carlos Massa Ratinho Junior com os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mário Abdo Benítez

Durante visita oficial do presidente da República do Paraguai, Mario Abdo Benítez, os governos do Brasil e Paraguai acordaram que o Estado do Paraná será o gestor das obras de construção da segunda ponte sobre o rio Paraná, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou do evento, ocorrido na terça-feira (12), no Palácio do Planalto.

Segundo o ministro, as obras serão financiadas pela usina hidrelétrica Itaipu Binacional, sob coordenação do governo do Paraná. “Essa é uma saída inteligente para desburocratizar o processo e ter a garantia dos recursos sem onerar o Tesouro. O projeto já está pronto e o contrato será realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)”, explicou Freitas.

Com a construção da segunda ponte sobre o rio Paraná, que será destinada apenas ao tráfego de carga, a Ponte da Amizade, construída em 1965, será liberada para o tráfego de veículos de passeio. A nova estrutura vai viabilizar uma maior agilidade para o escoamento da safra agrícola do Paraguai ao Brasil e para o fluxo de produtos brasileiros destinados ao Paraguai.

A segunda ponte sobre o rio Paraná será custeada pela margem brasileira de Itaipu, e a ponte sobre o rio Paraguai pela margem paraguaia. Os recursos terão como origem a rubrica orçamentária de gastos com responsabilidade socioambiental da entidade binacional e serão desembolsados ao longo de quatro exercícios, sem qualquer impacto no custo do serviço de eletricidade e na tarifa de Itaipu. A previsão é que a construção das pontes dure três anos,  e a extensão será de 760 metros.

Ascom/Ministério da Infraestrutura

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios