Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Jorge Lange, apresentou ao governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante a reunião do secretariado, ontem (19), a proposta de reestruturação de cargos da empresa com economia de 22% apenas em janeiro. A folha de pagamento encolheu de R$ 1,6 milhão para R$ 1,2 milhão. Essa reserva de caixa deve gerar investimentos para diminuir o déficit habitacional, calculado em 485 mil domicílios.

A reestruturação orçamentária possibilitará ampliar a linha de construção de casas para atender a população de baixa renda, estabelecer um projeto de moradias para a população da terceira idade e, ainda, uma linha de aquisição de moradia pelo servidor público. Na apresentação, Lange destacou que a Cohapar tem como função social construir moradias dignas e gerar emprego e renda na construção civil.

“Iniciamos um corte dos cargos em comissão, funções gratificadas, e a implantação de economia estipulada na ordem de 20%. No primeiro mês já foi atingido um número maior, no custeio e folha de pagamento. Temos um quadro negativo na questão do faturamento, agora vamos tomar outras medidas para possibilitar projetos e fazer as obras que o Paraná espera”, afirmou Lange. Os principais objetivos da companhia, explicou, são buscar recursos junto ao governo federal, vender serviços para outros órgãos da administração pública e aferir receita para deixar de ser totalmente dependente do governo estadual.

O governador Ratinho Junior também sugeriu a abertura de um diálogo com o governo federal sobre o uso dos recursos do Fundo de Combate à Pobreza e contato com grandes construtoras e incorporadoras para estabelecer parcerias para dirimir o déficit habitacional em prazo mais razoável.

Economia

Na reestruturação apresentada nesta terça, o presidente da Cohapar mostrou redução de 28% em cargos terceirizados (segurança e copa), diminuição de 29% na frota de veículos locados e o encerramento de um contrato de telefonia móvel que atendia o alto escalão da companhia.

Da estrutura da folha de pagamento, foram cortadas duas diretorias (economia de R$ 223 mil/mês), cargos das superintendências (-R$ 267 mil), cargos em comissão (-R$ 449 mil) e assessorias (-R$ 304 mil). Além disso, o departamento jurídico da Cohapar renegociou dívidas tributárias na casa de R$ 11,5 milhões e apresentou à Justiça um pedido para dar publicidade aos salários e cargos dos profissionais do órgão.

Déficit

A Cohapar trabalha com número aproximado de 485 mil pessoas com necessidade de moradia. Cerca de 150 mil moram em áreas de risco (favelas, cortiços, áreas de invasão) e demandam infraestrutura e regularização fundiária. Outras 313 mil pessoas ainda buscam moradia nas cidades e 22 mil em áreas rurais do Paraná.

O cenário de obras mais recente da Cohapar, apresentado na reunião, indica 4.095 unidades paralisadas ou com medição inferior a 10% e 3.035 unidades em construção. A companhia já entregou 256 mil unidades residenciais ao longo de sua história.

Uniformidade

A Cohapar também planeja atualizar o integrar o cadastro online das companhias de habitação municipais com intuito de uniformizar os formulários estaduais. O intuito é disponibilizar essas informações no site da companhia em breve.

Participações

Além dos secretários de Estado e presidentes das empresas públicas, participaram da reunião de secretariado os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do governo na Assembleia Legislativa), Cobra Repórter, Tercílio Turini e Delegado Recalcatti.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios