Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), recebeu simbolicamente do secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, e do secretário de Estado da Fazenda, Renê de Oliveira Garcia Júnior, a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2022. O texto prevê um aumento nas receitas de 9% em relação à LOA de 2021. No entanto, o déficit orçamentário ainda é de quase R$ 2 bilhões. O projeto foi protocolado eletronicamente na última quinta-feira (30), cumprindo o prazo legal para o envio da proposta ao Legislativo.

Traiano explica a importância da Lei Orçamentária Anual para administração do Estado. “A peça orçamentária estabelece todo o regramento de gastos do Governo em relação ao ano que vem. Quais recursos serão destinados para qual secretaria. Nós temos duas estruturas que são educação e saúde que têm percentuais obrigatórios pela lei. Saúde 12% e educação 30%. Isso obrigatoriamente tem que ser gasto. As demais secretarias oscilam conforme a receita. Aqui também está definido tudo aquilo que o Governo pretende fazer em termos de obras”.

A previsão é de uma receita total de R$ 54,6 bilhões, impulsionada pelo aumento inflacionário. Incremento que ainda não foi suficiente para cobrir as despesas extras geradas pela pandemia. “Nosso déficit ainda tem uma previsão de quase R$ 2 bilhões em função dos gastos da pandemia, dos gastos com a Saúde. Apesar dos números terem melhorado no Paraná, a pressão sob o Sistema Único de Saúde ter reduzido, a estrutura não acompanha a mesma velocidade. Estamos ainda, de forma progressiva, desinstalando os leitos de UTI e ainda temos a pandemia. É natural que esse gasto permaneça até o final do ano”, explica o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva.

Equilibrar as contas e evitar que o Estado encerre o ano com o caixa no vermelho é o grande desafio. Uma das medidas adotadas foi a redução dos gastos do Estado com juros e também com precatórios. “A dívida com a União perfaz R$ 34 bilhões. Nós tínhamos uma dívida com a Copel de R$ 1,4 bilhão que nós pagávamos IGP mais 4,75. Nós fizemos um pré-pagamento e isso liberou uma quantia de quase R$ 500 milhões no orçamento. E o gasto com os precatórios, em função da Lei complementar 105, nós tivemos uma economia de mais R$ 500 milhões, que deixou de ter o pagamento até 2024 e passou para até 2026. Então somados, é quase R$ 1,1 bilhão a menos no orçamento”, detalha o secretário de Estado da Fazenda, Renê de Oliveira Garcia Junior.

A previsão orçamentária para a Saúde é de R$ 4,4 bilhões (12%), para a Educação serão destinados R$ 9,6 bilhões (30%) e para a segurança pública serão R$ 4,2 bilhões. Ainda há a previsão de R$ 3,4 bilhões para investimentos em diferentes áreas.

A concessão de uma possível reposição salarial aos servidores públicos é um tema ainda em análise pelo Governo. “O governador determinou que a gente pudesse fazer um estudo aprofundando sobre esse incremento, porque a inflação também deteriora o salário do servidor. Nosso desafio é justamente equilibrar todas essas questões, o gasto elevado com saúde, a necessidade de repor a questão salarial dos servidores e, naturalmente poder continuar realizando os investimentos que são importantes para a população”, afirmou Guto Silva. “O volume de despesa ainda é muito elevado para a própria previsão orçamentária. Tem que fazer as contas para verificar se é possível, a que nível e a que taxa”, complementou Renê de Oliveira Garcia Junior, ao reafirmar que ainda não há uma decisão.

Tramitação

O projeto de Lei Orçamentaria Anual foi lido no expediente da sessão plenária desta segunda-feira (04) e agora é encaminhado para a Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa do Paraná, que tem a função de analisar a proposta e as emendas que podem ser apresentadas. A Comissão tem 20 dias para concluir a primeira fase, que inclui o processamento da proposta enviada pelo Governo e a disponibilização de sistema para o envio das emendas. Também cabe à Comissão aprovar ou rejeitar as emendas e elaborar o substitutivo-geral que vai para votação em plenário ainda este ano.

Também participaram do ato o primeiro secretário da Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), e o líder do Governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri (PSD).

LOA

A Lei Orçamentária Anual estima a receita, fixa as despesas e indica programas e ações que serão realizadas no ano seguinte. O documento informa projetos, atividades e operações especiais, com suas fontes de recursos.

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.