Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

 “Desde que a lei estadual antifumo foi criada, em 2009, o número de fumantes no Paraná vem diminuindo”, disse o deputado Luiz Claudio Romanelli ao destacar o Dia Nacional de Combate ao Fumo no último sábado, 29. Romanelli é autor da lei 16.239 que proíbe o consumo de cigarros ou de qualquer outro produto fumígeno em ambientes de uso coletivo, públicos ou privados.

A lei paranaense, assim como a de outros sete estados, ensejou a criação da lei federal 12.546 – de 3 de dezembro de 2014 – que proibiu em todo o Brasil o consumo de cigarros em locais de uso coletivo. "Foi um dos projetos mais importantes que apresentei na Assembleia. A importância só foi  superada pelo projeto que determina o uso de máscaras de proteção facial", disse o deputado. 

"O tabagismo provoca agravamento da pandemia de covid-19 porque fumantes parecem ser mais vulneráveis à infecção pelo coronavírus", completa Romanelli.

Avanços

Os últimos dados, ainda de 2013, apontam o Paraná com 18% fumantes brasileiros, mas Em Curitiba, este índice caiu de 18%, em 2009, para 11,4%, segundo levantamento da Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas), pesquisa do Ministério da Saúde em 2019, com dados de 2018. “Esses dados mostram o avanço na lei, que permite ao fumante passivo, o direito de viver, já que o cigarro afeta não somente o usuário, mas também aquelas pessoas que não fumam, mas são prejudicadas pela fumaça de cigarro”, diz o deputado.

Quando a lei foi criada, em 2009, a estimativa era de que, no Brasil, cerca de 200 mil de pessoas morriam anualmente, vítimas do cigarro. Dados do Ministério da Saúde apontam que o número de vítimas de doença pulmonar obstrutiva crônica é de 100 pessoas/dia, o que representa cerca de 36.500 mortes. Apesar da queda nesse índice, segundo estimativas de pesquisadores, em 2020 o tabaco será a terceira maior causa de morte no mundo, atrás apenas das doenças cardiovasculares e neurológicas.

Romanelli destaca a redução dos fumantes por acreditar que a lei ajuda a preservar vidas. “Quando a lei foi criada, a perspectiva era essa mesma. Nossa meta ainda continua, de contribuir para que esse número caia paulatinamente até a extinção total do uso do tabaco no Paraná”.

Combate ao Fumo

As datas de 29 de agosto (Dia Nacional de Combate ao Fumo) e 31 de maio (Dia Mundial sem Tabaco, instituído para ONU) objetivam sensibilizar e mobilizar a população a reconhecer os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Romanelli observa que há uma infinidade de alternativas para que o fumante que queira deixar o vício possa encontrar apoio.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta que o tabagismo é a principal causa de morte em todo o mundo. Por causa do tabaco, são diagnosticadas muitas doenças pulmonares crônicas. Câncer de pulmão, infarto e angina e acidente vascular cerebral são as enfermidades mais comuns, assim como bronquite e enfisema. Os fumantes passivos são os mais afetados, de acordo com a Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia). Apesar de não fazerem uso de tabaco, esse público inala até 50 vezes mais substâncias cancerígenas devido à fumaça.

Romanelli acrescenta que, conforme dados oficiais, fumantes passivos ou não, integram os grupos de risco do Covid-19, o que pode agravar ainda mais a saúde pública. “Mesmo que a pessoa não fume, mas inala com frequência a fumaça do cigarro de outra pessoa, ela terá o pulmão afetado e pode desenvolver doenças respiratórias, que podem se agravar com o quadro de Covid-19. Portanto, a lei antifumo é extremamente importante para preservar e salvar vidas”.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.