Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Liderado pelo Sebrae/PR, grupo composto por lideranças públicas e da sociedade visa desenvolver ações que potencializem o empreendedorismo nos municípios

 Lideranças do setor público e privado e empresários da região Norte do Estado se reuniram na última sexta-feira (18), no escritório do Sebrae/PR, em Londrina, para iniciar as ações do Comitê Territorial Norte do Paraná. O objetivo do grupo é criar um ambiente de negócios propício para o desenvolvimento de micro e pequenas empresas e, por consequência, dos municípios da região.

A constituição do Comitê Territorial, conduzida pelo Sebrae/PR, faz parte de uma das linhas estratégicas da entidade, a de estimular melhorias no ambiente de desenvolvimento favorável do empreendedorismo. Integram a iniciativa representantes de cinco cidades, Londrina, Cambé, Ibiporã, Rolândia e Arapongas.

O grupo participará de reuniões mensais que terão como temas de atuação a inovação, tecnologia, compras públicas e acesso a crédito. Durante os encontros, os participantes estarão dedicados a entender, identificar as necessidades e desenvolver um planejamento de ações que seja executado nos próximos anos na região.

“Nossos esforços serão concentrados, especialmente, nos temas da inovação e tecnologia. Como Londrina já tem o seu ecossistema estruturado neste ambiente, pretendemos incorporar as demais cidades da região a este movimento e fomentar para que toda a região cresça em conjunto e que os frutos sejam maiores”, explicou o consultor do Sebrae/PR, que lidera as ações, Sérgio Ozório.

Presidente da Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresarias do Norte do Paraná (Cacinp) e da Associação Comercial e Empresarial de Cambé (Acic), Pedro Mazzei reforçou que a proposta do Comitê Territorial, de trabalhar por etapas e reunir diversas lideranças, proporcionará que os resultados sejam perenes. “Londrina irá auxiliar toda região e os resultados serão coletivos, é um projeto muito importante para todos”, apontou.

A inovação, um dos principais pilares de atuação do Comitê, é também um dos temas mais atuais nos ambientes corporativos. Para Fábio Silva, conselheiro do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Rolândia, o Codese, e empresário de uma agência digital, a cidade carece de ativos, como profissionais, instituições de fomento e acesso a ferramentas tecnológicas.

“Dependemos de Londrina para inovar. Pensando neste problema, a junção dos esforços irá ajudar a difundir a cultura da inovação e desenvolver novos ativos que gerem benefícios às cidades da região. Estou otimista com a proposta”, admitiu Silva.

De acordo com Patrícia Silveira, professora e coordenadora do Centro de Línguas do Instituto Federal do Paraná (IFPR) em Arapongas, incluir a educação nas ações do Comitê possibilitará que a academia se aproxime da realidade e ajude a identificar soluções que transformem a realidade do ambiente de negócios. “Acontecem muitas ações que estimulam o empreendedorismo. Mas, em geral, elas não têm conexões entre si. O trabalho do Comitê Territorial irá criar um pensamento único e efetivo”, afirmou.

De olho no futuro, a união dos esforços irá qualificar e agilizar o surgimento dos resultados, foi o que afirmou Ronaldo Massacani, diretor da Acil Jovem e gestor de uma empresa de aviamentos. “O pensamento e trabalho coletivo será o grande diferencial.”

O próximo encontro das lideranças da região que integram o Comitê Territorial Norte do Paraná está previsto para acontecer em novembro. Na ocasião, serão apresentados trabalhos desenvolvidos em outros ecossistemas de inovação, como o do Norte Pioneiro. E, mais à frente, em futuras reuniões, será construído um plano de ações.

Camila Cabau/Asimp/Sebrae

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios