Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um dos projetos mais interessantes do governo de Ratinho Junior começa a se tornar realidade ainda em 2020. O programa Viver Mais Paraná, que vai construir condomínios residenciais para pessoas idosas em 19 municípios, já tem previsto para este ano o início das obras em Foz do Iguaçu e Jaguariaíva. Ao todo 19 municípios serão contemplados com o programa, entre eles Londrina.

Cobra Repórter, presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai), da Assembleia Legislativa, ressalta a importância deste projeto e, em setembro do ano passado, esteve com o chefe do Departamento de Políticas para a Pessoa Idosa, da Secretaria Estadual de Justiça, Família e Trabalho, Fernando Castellano Junior, e solicitou a vinda da  do Viver Mais para cidades da região.

Castellano destaca que estão sendo firmados convênios com as universidades para que garantam os idosos que vão morar nestes condomínios as atividades esportivas e de recreação, assim o atendimento médico ambulatorial.

Segundo ele, a responsabilidade pela manutenção dos condomínios será de cada município. Os condomínios são conjuntos residenciais horizontais com 40 unidades cada, voltados para idosos de baixa renda, na faixa de uma a seis salários mínimos e prioridade será data para e menor faixa. A iniciativa do governo do Estado, o programa Viver Mais Paraná, apoiada pelo deputado Cobra Repórter.

 “Este é um projeto fantástico, que vai dar suporte aos idosos, que muitas vezes vivem sozinhos, sem os cuidados adequados ou estão em um ambiente familiar onde não se sentem à vontade. Serão dois idosos por casa e o local terá espaço de convivência, ambulatório e atividades físicas voltadas para esta faixa etária. Queremos que todas as cidades paranaenses tenham este projeto", ressaltou Cobra Repórter.

O Programa

Este é o maior programa de habitação do País para a terceira idade, a iniciativa do Paraná beneficia pessoas com mais de 60 anos que não tenham casa própria, sendo a cessão do imóvel feito por meio de aluguel social. Cada condomínio contará com infraestrutura de saúde, assistência social e lazer para os futuros moradores.

Poderão participar da seleção das unidades pessoas idosas com renda de um a seis salários mínimos, e que não sejam proprietários de outros imóveis. Os escolhidos poderão residir nas casas por tempo indeterminado, sozinhos ou em casais, com o pagamento de uma contrapartida mensal de 15% de um salário-mínimo, que equivale atualmente a R$ 149,70.

Cada empreendimento contará com 40 moradias adaptadas, construídas em condomínios horizontais fechados, com completa infraestrutura de saúde, assistência social e lazer. Os projetos arquitetônicos contam com praça de convivência, biblioteca, sala de informática, academia ao ar livre, horta comunitária, salão de festas e piscina para hidroginástica.

Meire Bicudo/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios