Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Parceria firmada no Fórum de Docentes e Discentes cria banco de projetos para soluções na área de infraestrutura e incentiva pesquisas científicas

A Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) assinaram na quarta-feira (7) acordo de cooperação técnica para incentivar o conhecimento científico e inovação tecnológica com objetivo de encontrar soluções que possibilitem o desenvolvimento local e regional.

A parceria foi firmada na abertura do 26º Fórum de Docentes e Discentes, realizado pelo Crea-PR até esta sexta-feira (9), no Centro Universitário UDC, em Foz do Iguaçu, com o tema “A Inovação para um Ensino Empreendedor”. O evento reúne professores e universitários dos cursos de Engenharia, Agronomia e Geociências.

“O acordo de cooperação prevê um Simpósio de Metodologias Ativas no Ensino Superior e um programa estadual com banco de projetos para soluções e inovações na área de infraestrutura”, afirmou o superintendente da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Nelson Bona, responsável pela palestra magna do evento.

Na avaliação dele, é fundamental a conexão entre formação acadêmica e mercado de trabalho com trocas de experiências entre docentes e discentes. “Como órgão de classe, o Crea-PR possibilita o debate e a atualização dos profissionais e universitários da Engenharia, Agronomia e Geociências”, ressaltou.

O superintendente elogiou o Fórum e destacou que o evento aponta perspectivas na ciência e tecnologia, por meio da integração acadêmica com o exercício profissional. “A engenharia apresenta soluções de problemas no esforço da produção científica. O encontro entre a teoria e a prática é importantíssimo para inovação e desenvolvimento do nosso Estado”, comentou.

Profissional Do Futuro

O presidente estadual do Crea-PR, o Engenheiro Civil Ricardo Rocha, afirmou que a formação do profissional do futuro é desafiadora por conta das mudanças na sociedade e no mercado de trabalho, processo que deve se tornar ainda mais complexo nas próximas décadas.

“As tecnologias progridem em nível exponencial e, com o desenvolvimento da Inteligência Artificial e as transformações e implantação da indústria 4.0, ainda é incerto a que ritmo as mudanças irão ocorrer. O desafio é preparar os futuros engenheiros para uma sociedade que se reinventa”, avaliou.

Apesar dos avanços tecnológicos, Rocha ressaltou a necessidade de manutenção de “uma base sólida, construída ao longo de séculos de conhecimento científico acumulado” nas engenharias, agronomia e geociências. “O mercado exige profissionais dinâmicos, empreendedores, com capacidade mais apurada em examinar diferentes cenários de forma integrada e humanística. As necessidades da população mudam, e os engenheiros do futuro devem estar preparados para atendê-las. Parcerias como esta firmada com a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior contribuirão para este preparo ”, conclui o Presidente do Crea-PR.

Samara Rosenberger/Asimp/Crea-PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios