Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) tem investido em ações voltadas para o envelhecimento ativo e, ontem (09), realizou uma reunião com representantes do Banco Itaú, vindos de São Paulo, especialmente para a ocasião, onde apresentaram a “PLATAFORMA LONGEVIVER”. O encontro foi no Auditório Legislativo.

A plataforma organiza informações sobre o envelhecimento populacional e agrega dados geoestatísticos específicos da população idosa. Por meio dela, se pode ter acesso a pesquisas e diversos indicadores sociais, como dados socioeconômicos, de saúde, habitação... “As informações podem ser usadas para formulações de políticas públicas orientadas à pessoa idosa. A ferramenta desenvolvida pelo banco Itaú já foi implementada em diversos estados do Brasil e, deve começar em breve, no Paraná e não tem interesse comercial”, explicou Erika Louise, gerente de relações governamentais do Itaú.

O Brasil envelhece rapidamente: hoje, 14% da população tem mais de 60 anos. “É crescente o número de pessoas perto de se aposentar e sem oportunidade de emprego. Só que, ao contrário do que muitos pensam, os desafios vão além da saúde pública e da previdência. O importante é unir pesquisa, tecnologia e o poder público para a gestão governamental. Com essa ferramenta apresentada, teremos acesso fácil e rápido a uma gama de informações sobre o perfil dos nossos idosos. São dados importantíssimos para a construção de políticas públicas efetivas”, explicou o deputado estadual Cobra Repórter, presidente da Criai.

Na oportunidade, a Criai também certificou o projeto “Quebrando o Silêncio” como parceira por meio de sua representante na região Sul, Denise Lopes. “Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul desde o ano de 2002”, explicou Denise Lopes.

A campanha se desenvolve durante todo o ano, mas uma das suas principais ações ocorre sempre no quarto sábado do mês de agosto. Este é o “Dia de ênfase contra o abuso e a violência”, quando ocorrem passeatas, fóruns, escola de pais, eventos de educação contra a violência e manifestações na América do Sul. A cada ano um tema é escolhido para ser discutido e abordado com propósito de conscientizar a comunidade, denunciar abusadores e ajudar as vítimas. O tema de 2019 é abuso sexual infantil.

Meire Bicudo/Asimp

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios