Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), enviou, ontem (27), um ofício ao delegado da cidade de Ponta Grossa, Nagib Nassif Palma, solicitando informações sobre o caso que chocou o Estado: mãe e padrasto presos por estuprar filha.

“Eu fico indignado, revoltado com uma situação desta: quem deveria proteger está agredindo, feriando e causando traumas irreparáveis! É mais um absurdo contra nossas crianças que a Criai vai acompanhar”, disse o deputado Cobra Repórter. 

Presa preventivamente desde o começo de agosto por estupro de vulnerável, a mãe e o padrasto que abusaram de uma menina de 10 anos também serão indiciados por armazenamento de pornografia infantil segundo a polícia.

O material contendo imagens pornográficas da criança e áudios que contavam sobre o estupro foi encontrado no celular da mãe, de 25 anos, na última segunda-feira (24). Tanto a mãe, quanto o padrasto. de 32 anos, estão sujeitos a até oito anos de prisão só pelo crime de armazenamento de pornografia infantil. Já a pena pelo estupro pode variar de oito a 15 anos de prisão.

Meire Bicudo - Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios