Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), ao longo dos últimos dois anos e meio, o estado registrou 2.354 roubos a propriedades rurais

Bandidos estão de olho em bens específicos relacionados à atividade rural, como máquinas e insumos, além dos próprios produtos agropecuários. No estado do Paraná, a crescente no número de casos tem chamado atenção.

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), ao longo dos últimos dois anos e meio, o estado registrou 2.354 roubos a propriedades rurais (quando bandidos armados rendem as vítimas) e 19.261 furtos (em que ladrões levam os bens quando a vítima não está no local ou não percebem a ação).  

Além disso, 1.026 veículos foram furtados e 750 foram roubados no meio rural. Juntos, são quase 23,4 mil ocorrências em meio rural, no período, média de 779 por mês. Os dados dizem respeito apenas aos crimes em que as vítimas registraram boletim de ocorrência.

A falta de estrutura dificulta a prevenção e a investigação desses crimes. A Polícia Militar (PM), responsável pelo trabalho preventivo, esbarra na falta de agentes, tornando impossível manter um policiamento ostensivo, principalmente em áreas rurais mais afastadas. Além disso, cerca de 150 municípios paranaenses não têm delegacia da Polícia Civil, responsável pela investigação dos crimes.

Para a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) a participação efetiva em Conselhos Comunitários de Segurança é recomendada aos sindicatos rurais do Estado. Na avaliação da Federação, a ação dos Consegs é uma forma de os produtores rurais participarem das decisões relacionadas às políticas de segurança dos municípios e de colaborar com as autoridades, fortalecendo uma rede entre a sociedade e a polícia.

Brasil 61

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios