Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD), que é o presidente da Comissão de Defesa da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), manifestou seu apoio à campanha da secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp) para alertar sobre a importância da denúncia no combate à violência infantil.

Segundo o Governo do Estado, campanha foi iniciada, estrategicamente, no mês de outubro, no qual é comemorado o Dia das Crianças. Uma série audiovisual com três episódios, apresentados nas mídias digitais da Sesp, aborda dados estatísticos e situações de violência infantil com o objetivo de sensibilizar e empoderar familiares, vizinhos e conhecidos da criança, a denunciar os crimes.

O primeiro episódio, “Isso também é problema seu”, já está disponível no site (www.seguranca.pr.gov.br/Video) no Facebook (www.facebook.com/sespparana/posts/3765548000130712) e no Instagram da Secretaria da Segurança (www.instagram.com/segurancaparana/).

A Sesp lembra que o crime de violência infantil é caracterizado por abandono, negligência, trabalho infantil, agressão física, psicológica e moral, além de abuso sexual. “São situações que qualquer pessoa pode ficar atenta e salvar a vida de uma criança denunciando, anonimamente, no Disque Denúncia 181, do Governo do Paraná. Ouviu barulhos incomuns na residência, criança com aparência física e emocional abalada, são alguns dos aspectos que devem ser observados e denunciados e quaisquer outros tipos de abusos”, destacou o deputado Cobra Repórter.

Dados da Sesp apontam que, entre janeiro e setembro deste ano, 953 pessoas entraram em contato com o 181 e relataram alguma situação de violência infantil em todo o Paraná. O número, maior do que o registrado no mesmo período de 2019 - quando houve 903 denúncias - revela que, em média, três denúncias de violência contra crianças foram feitas por dia no Estado.

Embora os dados apontem um aumento de 5,5% de denúncias no comparativo com os mesmos meses do ano anterior, segundo o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, o número poderia ser maior. “Infelizmente, sabemos que a violência contra nossas crianças é cotidiana e enraizada em muitas famílias e ambientes. Porém, é preciso que a sociedade entenda que isto é crime, não educa e ainda acarreta marcas que elas levarão para toda sua vida”, disse.

Meire Bicudo e  Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.