Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD), que é o presidente da Comissão de Defesa da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), manifestou seu apoio à campanha da secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp) para alertar sobre a importância da denúncia no combate à violência infantil.

Segundo o Governo do Estado, campanha foi iniciada, estrategicamente, no mês de outubro, no qual é comemorado o Dia das Crianças. Uma série audiovisual com três episódios, apresentados nas mídias digitais da Sesp, aborda dados estatísticos e situações de violência infantil com o objetivo de sensibilizar e empoderar familiares, vizinhos e conhecidos da criança, a denunciar os crimes.

O primeiro episódio, “Isso também é problema seu”, já está disponível no site (www.seguranca.pr.gov.br/Video) no Facebook (www.facebook.com/sespparana/posts/3765548000130712) e no Instagram da Secretaria da Segurança (www.instagram.com/segurancaparana/).

A Sesp lembra que o crime de violência infantil é caracterizado por abandono, negligência, trabalho infantil, agressão física, psicológica e moral, além de abuso sexual. “São situações que qualquer pessoa pode ficar atenta e salvar a vida de uma criança denunciando, anonimamente, no Disque Denúncia 181, do Governo do Paraná. Ouviu barulhos incomuns na residência, criança com aparência física e emocional abalada, são alguns dos aspectos que devem ser observados e denunciados e quaisquer outros tipos de abusos”, destacou o deputado Cobra Repórter.

Dados da Sesp apontam que, entre janeiro e setembro deste ano, 953 pessoas entraram em contato com o 181 e relataram alguma situação de violência infantil em todo o Paraná. O número, maior do que o registrado no mesmo período de 2019 - quando houve 903 denúncias - revela que, em média, três denúncias de violência contra crianças foram feitas por dia no Estado.

Embora os dados apontem um aumento de 5,5% de denúncias no comparativo com os mesmos meses do ano anterior, segundo o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, o número poderia ser maior. “Infelizmente, sabemos que a violência contra nossas crianças é cotidiana e enraizada em muitas famílias e ambientes. Porém, é preciso que a sociedade entenda que isto é crime, não educa e ainda acarreta marcas que elas levarão para toda sua vida”, disse.

Meire Bicudo e  Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios