Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Diariamente temos visto casos de cachorros e gatos sendo abandonados, queimados com água quente, sendo espancados, mutilados e até mortos covardemente em nosso Estado! Atrocidades como estas precisam ser combatidas! Diante de tantos casos de maus-tratos contra animais, apresento um projeto de lei para instituir o serviço permanente de denúncia de violência via número de whatsapp ou telegram”, explicou o deputado estadual Cobra Repórter (PSD).

O projeto de lei (PL) foi apresentado ontem (20), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), e denomina o serviço como disque denúncia “S.O.S Animal”. “Existe atualmente somente uma Delegacia Especializada em Crimes Ambientais no Paraná, que recepciona toda a demanda oriunda de denúncias contra animais, que é muito bem administrada pelo Delegado Matheus Laiola. Atualmente, as queixas relativas aos crimes contra animais são recepcionadas por delegacias de polícia tradicionais em todo o Estado do Paraná, que repassam o problema para análise e investigação da única delegacia especializada”, disse o deputado Cobra Repórter.

O deputado explica que a intenção, a partir desta lei, é que qualquer pessoa que tenha um telefone celular esteja diretamente ligada à delegacia de polícia de proteção ao meio ambiente e poderá com facilidade e rapidez fazer sua denúncia de violência contra os animais.

 “A Delegacia de Crimes ao Meio Ambiente recepcionando reclamações e denúncias diretamente poderá agir com mais rapidez e eficácia podendo orientar os mais diversos organismos da Polícia Civil no interior do Estado para elucidação dos fatos. Neste mês em que se realiza o JULHO DOURADO, lei de minha autoria que estabelece o mês para reflexão, conscientização e promoção de eventos sobre saúde dos animais, estamos propondo ao Governo do Paraná a adoção do S.O.S. Animal, importante canal de defesa dos nossos animais”, destacou o deputado.

O deputado lembra ainda que, no primeiro semestre deste ano, a Polícia Civil do Paraná resgatou, em Curitiba e Região Metropolitana, cerca de 400 animais que sofriam maus-tratos ou eram mantidos de maneira criminosa em cativeiros.

Meire Bicudo e  Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.