Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O vice-líder do governo, deputado estadual Cobra Repórter (PSD), apresentou na Assembleia Legislativa ontem (23) um projeto de lei que cria o Programa de Incentivo e Facilitação de Inventários, Arrolamentos e Doações, visando um amplo parcelamento para pagamento do Imposto Sobre a Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD). 

O deputado destaca que, com aumentos de mortes em decorrência da pandemia do coronavírus e com o agravamento da crise financeira no país, o projeto é necessário para que possam resolver as questões de inventário, doações, heranças de forma mais ágil. Esta não é a primeira ação do deputado nesta área, já apresentou requerimento na Assembleia solicitando isenção do imposto. 

Com a criação do Programa de Incentivo proposto por Cobra Repórter, que teria validade até o final do Decreto Legislativo de Reconhecimento de Calamidade Pública no âmbito estadual relativo à pandemia do Coronavírus, mesmo para os que já estão inscritos na dívida ativa, ficaria da seguinte forma: 

I - em parcela única, com a redução de 100% (cem por cento) do valor da multa e de 45% (quarenta e cinco por cento) do valor dos juros; 

II - em até sessenta parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 80% do valor da multa e de 35% do valor dos juros; 

III - em até 120 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 70% do valor da multa e de 30% do valor dos juros; 

IV - em até 180 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 60% do valor da multa e de 25% do valor dos juros. 

V – em até 240 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 40% do valor da multa e de 20% do valor dos juros. 

No passado já houve um parcelamento, mas agora o deputado está solicitando a dilatação do número de parcelas e descontos. Atualmente, a lei permite o parcelamento da seguinte forma: parcela única, com a redução de 80% (oitenta por cento) do valor da multa e de 40% do valor dos juros; sessenta parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 60% do valor da multa e de 25%  do valor dos juros; até 120 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 40% do valor da multa e de 20% do valor dos juros ou em até 180 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com a redução de 20% do valor da multa e de 10% do valor dos juros.

“Muitas famílias paranaenses estão sofrendo, tendo dificuldades para o pagamento do ITCMD, e esta situação cria entraves na composição sucessória da transmissão dos bens e direitos das pessoas, prejudicando por décadas as vezes, que filhos e netos tenham acesso ao direito de herança. Estamos solicitando ao Estado que seja sensível a esta questão, especialmente neste momento de pandemia, onde muitas pessoas, em especial idosos, perderam duas vidas. Facilitar o pagamento é muito importante para que as famílias possam desenrolar a papelada e assim, seguirem suas vidas e vai permitir o aquecimento do mercado imobiliário, a movimentação da economia e arrecadação ao Estado”, justifica Cobra Repórter.

 O deputado lembra ainda que no passado, a Assembleia aprovou projeto que alterou o limite de isenção do ITCMD,  de R$ 25 mil para R$ 50 mil.

Meire Bicudo e Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.