Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O projeto de lei 248/2020 que trata das diretrizes orçamentárias (LDO) para o ano de 2021 recebeu 122 emendas. O prazo para que os deputados apresentassem à Comissão de Orçamento sugestões de modificações ao texto do governo terminou na última segunda-feira, depois de ser prorrogado por uma semana devido a uma reestimativa de valores encaminhada pelo Governo.

A partir de agora, o relator do projeto na Comissão tem 20 dias para analisar todas as emendas apresentadas de acordo com aspectos técnicos, formais e de mérito e decidir quais sugestões serão acatadas e quais serão rejeitadas. Na sequência, o projeto e as emendas aceitas serão submetidos à votação na Comissão na forma de um substitutivo-geral. “Esse ano teremos um grande desafio que é estabelecer o orçamento para 2021 em um cenário de total indefinição dos indicadores econômicos. Dependemos da arrecadação de impostos e há uma pressão muito grande por despesas que não podem ser comprimidas, não se sabe ainda como serão os próximos meses, quanto tempo vai levar o retorno da atividade nos parâmetros do início do ano. Os números mudam o tempo todo e há muito mais incertezas, estamos passando pela mais severa crise econômica do século. É nesse cenário que vamos projetar e definir as diretrizes das despesas e receitas que a máquina pública terá que executar no próximo ano”, afirma o deputado Tiago Amaral (PSB), relator do projeto na Comissão.

O presidente da Comissão de Orçamento, deputado Evandro Araújo destaca o aumento de 41% na apresentação de emendas neste ano em relação à LDO anterior, que recebeu 86 emendas. "Acredito que isso é um reflexo do momento que vivemos, até por isso esticamos em uma semana o prazo para a apresentação das emendas. Agora, cabe ao relator fazer uma filtragem dessas propostas para ver o que entra e o que não entra na peça orçamentária final que os deputados irão votar em plenário".

O substitutivo-geral elaborado pelo relator precisa ser aprovado pela Comissão de Orçamento para que o projeto possa ser encaminhado para votação em Plenário, o que só deve acontecer no segundo semestre do ano.

A estimativa para o exercício 2021 é de uma receita bruta de R$ 64 bilhões e uma receita liquida R$ 47,7 bilhões. Em relação à meta tributária, a receita corrente prevista, em razão das consequências da pandemia do coronavírus, é de R$ 36,8 bilhões. Sem a pandemia, a previsão atingiria os R$ 38,9 bilhões.

LDO

A Lei de Diretrizes Orçamentárias estabelece os parâmetros para a elaboração e execução da Lei Orçamentária Anual (LOA). A LDO fixa metas e as prioridades da administração estadual, os eventuais ajustes do Plano Plurianual (PPA), as metas fiscais e as projeções de receitas e despesas. A lei também faz um diagnóstico dos potenciais riscos fiscais e orçamentários, detalha os passivos contingentes e das demandas judiciais, além de trazer esclarecimentos sobre o cumprimento das metas fiscais do exercício anterior. O texto está disponível para consulta no site da Assembleia. Na aba Legislação, basta clicar em Leis Orçamentárias.

Asimp/Alep

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.