Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os negócios deverão gerar 14 mil novos empregos, segundo o balanço apresentado pela Invest Paraná ontem (29), durante reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com o secretariado. Agência recebeu contatos de 350 empresas neste ano.

O Governo do Estado soma R$ 17,96 bilhões em investimentos privados no Paraná em dez meses. Os negócios deverão gerar 14 mil novos empregos. O resultado é fruto do trabalho realizado pela Invest Paraná, agência estadual responsável pela prospecção de novos negócios e atração de empresas.

Veja também:

Estado reúne lideranças em Foz para apresentar o Governo 5.0

Paraná realiza maior modernização da rede elétrica no campo

O balanço das atividades da Invest Paraná foi apresentado ontem (29) durante reunião semanal do governador Carlos Massa Ratinho Junior com o secretariado. “Acompanhei pessoalmente casos de empresas que estavam indo para outros Estados e a insistência e a rapidez do Paraná convenceram os investimentos no Estado”, afirmou.

O governador destacou que a Invest Paraná deve alcançar a metade da meta planejada para os quatro anos de mandato (R$ 40 bilhões) apenas em 2019. “A Invest Paraná foi remodelada, é uma agência com estrutura enxuta, e tem feito um trabalho fantástico”, disse. Os dados deste ano mostram que a maior parte dos investimentos será aplicado na expansão de nove plantas industriais já instaladas (R$ 11,5 bilhões).

O governador também pontuou que a atração de investimentos é fundamental para a geração de novos empregos, o que proporciona desenvolvimento social. O Paraná está entre os quatro entes da federação que mais abriram vagas no mercado de trabalho neste ano e planeja incentivar os empresários a investirem em regiões que ainda concentram bolsões de pobreza. “A indústria paranaense é a que mais cresce no País. Esse dado chama a atenção”, complementou o governador.

Segundo o balanço da Invest Paraná (antiga Agência Paraná de Desenvolvimento), 350 novas empresas já contataram a agência neste ano, com mais de mil pessoas atendidas. Também foram realizadas seis missões internacionais (China, Estados Unidos – Nova York, Estados Unidos – Vale do Silício, Canadá, Portugal e República Tcheca) de apresentação do Estado e organizados sete eventos diretos em Curitiba e Brasília.

Novo olhar

Segundo Eduardo Bekin, diretor-presidente da Invest Paraná, os resultados são fruto de uma orientação voltada a prospectar clientes no mercado internacional e ajudar os empresários paranaenses a investirem nas suas plantas. “O Paraná se descolou do momento econômico do governo federal e das crises fiscais dos Estados. Atraímos investimentos com responsabilidade. Agora, olhando para o futuro, queremos desenvolver as indústrias locais. O nosso foco é acelerar os investimentos do Paraná nos próximos anos”, afirmou.

Bekin também comemorou o lançamento do programa Paraná Trifásico, que encerra um dos grandes gargalos na prospecção de novos clientes. A nova rede elétrica terá 25 mil quilômetros e dá suporte ao crescimento do Estado. “A energia é uma gargalo muito grande, principalmente no interior. Temos três grandes gargalos: energia, infraestrutura e o sistema de benefícios fiscais. O Governo tem investido em grande escala nos dois primeiros e conseguimos acelerar os processos internos, que agora são totalmente digitais. É um novo momento”, complementou.

O diretor-presidente da Invest Paraná também destacou que os investimentos são prospectados para aumentar a relevância de setores essenciais da economia paranaense. “Tentamos entender o que a empresa precisa, o que os investidores estão procurando, e moldamos esses investimentos específicos para cada setor. Não trabalhamos mais as empresas, mas setores: automobilístico, cervejeiro e confecções, por exemplo”, acrescentou Bekin. “A nossa matriz de trabalho é a geração de emprego”.

PMAI

A Invest Paraná também é responsável pelos Programas Municipais Para Atração de Investimentos (PMAIs), que são orientados a fortalecer as vocações dos municípios e ampliar as suas potencialidades. O intuito desses documentos que são entregues para as prefeituras e a sociedade civil organizada é de melhorar o ambiente de negócios, alçar o município a protagonista da captura de investimentos, fomentar planejamentos econômicos mais estruturados e aproximar as comunidades dessa discussão.

Entre 2017 e 2018 foram entregues apenas cinco PMAIs aos municípios. Neste ano já foram realizadas 12 entregas, para São José dos Pinhais, Jaguariaíva, União da Vitória, Ponta Grossa, Umuarama, São Mateus do Sul, Palmeira, Campo Largo, Araucária, Goioerê, Pitanga e Turvo. Há outros 27 em execução no Estado e o intuito é entregar aos 399 municípios até 2022.

“O PMAI é um masterplan simplificado. Conseguimos entender as regiões e as suas habilidades a partir dele, além de identificar as falhas que inviabilizam eventuais investimentos. É um produto envelopado para os investidores e que prepara melhor a sociedade civil organizada a receber esses recursos e empregos”, afirmou Eduardo Bekin.

A Invest Paraná estrutura a metodologia em parceria com as universidades estaduais para ampliar a cobertura. “Aprendemos a fazer os PMAIs de maneira organizada e vamos entregar aos 380 municípios que ainda faltam nos próximos anos. Estamos desenvolvendo metodologias com as universidades estaduais. Essa transferência de tecnologia e know-how vai ajudar a atingir 100% do Estado”, acrescentou.

Voe Paraná

A agência também participou da organização do programa Voe Paraná, que encurtou as distâncias no Estado. A redução do ICMS sobre o querosene da aviação civil teve como contrapartida investimentos das três principais companhias aéreas. A Gol agora é parceira do Estado no programa de aviação regional que conecta 12 municípios com a capital em voos executivos e a Azul e a Latam ampliaram em mais de 30% o número de voos regulares, possibilitando, inclusive, novas conexões internacionais.

Novas iniciativas

Além da orientação voltada a prospecção de trabalho, a Invest Paraná atua em parceria com as secretarias do Estado para direcionar os investimentos para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). O Paraná é signatário da Agenda 2030. Os projetos envolvem acesso à internet no campo (com apoio da Copel, Celepar, Tecpar e Secretaria de Agricultura e do Abastecimento), microcrédito (com a Fomento Paraná e o BRDE) e processos com biomassa e biogás (com apoio da Sanepar, Copel, Compagás, Tecpar e Secretaria de Agricultura e do Abastecimento).

Presenças

Estiveram presentes na reunião os secretários estaduais, presidentes das empresas públicas e diretores das autarquias, além dos deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo), Tiago Amaral e Soldado Adriano José.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios