Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A cidade registrou uma morte no mês de janeiro e, desde agosto do ano passado, viu os casos confirmados da doença subirem.

Com pouco mais de 11 mil habitantes, a cidade de Florestópolis – na Região Metropolitana de Londrina – recebeu atenção especial do governo para combater a dengue.

A cidade registrou uma morte no mês de janeiro e, desde agosto do ano passado, viu os casos confirmados da doença subirem. Os números estabilizaram a partir do esforço direcionado da Secretaria de Saúde do estado, como explica o secretário, Beto Preto.

”Temos feito força-tarefa em algumas áreas mais epidêmicas. As ações não param. Vamos repetir o trabalho feito em Florestópolis, Nova Cantu e Quintas do Sol, que apresentou bons resultados, para ver se os números estão diminuindo nesses municípios.”

Assim como nos outros dois municípios, a remoção mecânica dos focos da dengue, em substituição ao uso do fumacê, teve sucesso em Florestópolis.

Um mês atrás, 200 casos da doença estavam sendo investigados na cidade. Hoje o registro é de 50 casos suspeitos. O último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde registra 798 pessoas contaminadas desde agosto de 2019.

Equipes passaram de imóvel em imóvel recolhendo objetos que podem acumular água, eliminando focos do mosquito e conversando com os moradores. É essa experiência que o governo quer levar, aos poucos, para todo o estado.

Além do trabalho dos agentes de endemias, as autoridades de saúde reforçam o papel dos moradores no combate a focos do mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya. A recomendação do Ministério da Saúde é de que essa limpeza dentro de casa seja semanal.

Além disso, o Secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, lembra que período de maior incidência da dengue, no país, vai coincidir, muito provavelmente, com o pico de contaminação do COVID-19 e, por isso, é fundamental que a população aproveite a quarentena para, também, se proteger do mosquito transmissor.

 “Nós teremos, pelo menos, três epidemias simultâneas: coronavírus, que é uma novidade; teremos Influenza, que é uma rotina, todo ano acontece, e teremos, também, o pico de dengue. Então, é fundamental, e eu tenho chamado atenção, aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem os focos de dengue”.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.

Agência do Rádio

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios