Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As medidas incluem novas linhas de crédito da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). As linhas de crédito vão auxiliar os setores mais atingidos pelas restrições impostas pela pandemia, como o comércio, serviços e turismo.

Além das restrições de circulação e novas regras de funcionamento dos serviços não essenciais, o governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou na sexta-feira (5) uma série de medidas econômicas para auxiliar a população afetada pela pandemia do novo coronavírus. As medidas incluem novas linhas de crédito da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

As ofertas de crédito vão auxiliar os setores mais atingidos pelas restrições impostas pela pandemia, como o comércio, serviços e turismo. “No ano passado, no início da pandemia, já fizemos um pacote econômico muito parecido com o que anunciamos agora. A ideia é amenizar as dificuldades que esses setores vêm sentido”, afirmou o governador. “Lamentamos pelas medidas duras, mas elas são necessárias par conter a disseminação do vírus. Mas buscamos, com nossas agências de crédito e as estatais, amenizar o impacto nesses setores”.

Ratinho Junior destacou que, mesmo com a pandemia, o Paraná teve bons resultados econômicos no ano passado. O Estado encerrou 2020 com a criação de 52,6 mil postos de trabalho com carteira assinada, a segunda maior geração de empregos no País.

“Na maior crise sanitária do último século, o Paraná gerou mais de um terço dos empregos no Brasil. O Estado entende como empreender e gerar empregos, porque é da vocação dos paranaenses gostar de trabalhar”, disse. “Tomamos as medidas necessárias para proteger a vida da nossa população, mas buscando também levar o menor prejuízo possível a toda a sociedade e a todos os setores econômicos”.

Linhas de crédito

Criada no ano passado, linha Recupera Paraná será reativada, com juros subsidiados, e vai destinar R$ 10 milhões para atender empreendedores informais e Microempreendedores Individuais (MEIs). Além disso, os empreendedores que pegaram empréstimos por essa linha no ano passado terão o pagamento das parcelas suspenso por dois meses, para aliviar o fluxo de caixa das empresas. A medida pretende beneficiar cerca de 40 mil pessoas.

O BRDE também repassará R$ 30 milhões, com juros subsidiados, para ampliar a disponibilidade de crédito dos programas Banco da Mulher Paranaense e Banco do Empreendedor, da Fomento Paraná. “Esse valor é para atender, em especial, o micro e o pequeno comerciante”, afirmou Ratinho Junior. 

O setor turístico também será atendido pelos mecanismos de crédito do Governo do Paraná. O BRDE e a Fomento Paraná vão destinar R$ 120 milhões para empréstimos subsidiados, voltado para o capital de giro de empreendimentos que trabalham com o turismo, beneficiando o setor hoteleiro e o de serviços.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.