Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

As medidas incluem novas linhas de crédito da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). As linhas de crédito vão auxiliar os setores mais atingidos pelas restrições impostas pela pandemia, como o comércio, serviços e turismo.

Além das restrições de circulação e novas regras de funcionamento dos serviços não essenciais, o governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou na sexta-feira (5) uma série de medidas econômicas para auxiliar a população afetada pela pandemia do novo coronavírus. As medidas incluem novas linhas de crédito da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

As ofertas de crédito vão auxiliar os setores mais atingidos pelas restrições impostas pela pandemia, como o comércio, serviços e turismo. “No ano passado, no início da pandemia, já fizemos um pacote econômico muito parecido com o que anunciamos agora. A ideia é amenizar as dificuldades que esses setores vêm sentido”, afirmou o governador. “Lamentamos pelas medidas duras, mas elas são necessárias par conter a disseminação do vírus. Mas buscamos, com nossas agências de crédito e as estatais, amenizar o impacto nesses setores”.

Ratinho Junior destacou que, mesmo com a pandemia, o Paraná teve bons resultados econômicos no ano passado. O Estado encerrou 2020 com a criação de 52,6 mil postos de trabalho com carteira assinada, a segunda maior geração de empregos no País.

“Na maior crise sanitária do último século, o Paraná gerou mais de um terço dos empregos no Brasil. O Estado entende como empreender e gerar empregos, porque é da vocação dos paranaenses gostar de trabalhar”, disse. “Tomamos as medidas necessárias para proteger a vida da nossa população, mas buscando também levar o menor prejuízo possível a toda a sociedade e a todos os setores econômicos”.

Linhas de crédito

Criada no ano passado, linha Recupera Paraná será reativada, com juros subsidiados, e vai destinar R$ 10 milhões para atender empreendedores informais e Microempreendedores Individuais (MEIs). Além disso, os empreendedores que pegaram empréstimos por essa linha no ano passado terão o pagamento das parcelas suspenso por dois meses, para aliviar o fluxo de caixa das empresas. A medida pretende beneficiar cerca de 40 mil pessoas.

O BRDE também repassará R$ 30 milhões, com juros subsidiados, para ampliar a disponibilidade de crédito dos programas Banco da Mulher Paranaense e Banco do Empreendedor, da Fomento Paraná. “Esse valor é para atender, em especial, o micro e o pequeno comerciante”, afirmou Ratinho Junior. 

O setor turístico também será atendido pelos mecanismos de crédito do Governo do Paraná. O BRDE e a Fomento Paraná vão destinar R$ 120 milhões para empréstimos subsidiados, voltado para o capital de giro de empreendimentos que trabalham com o turismo, beneficiando o setor hoteleiro e o de serviços.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios