Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

São cestas básicas, com arroz, óleo, feijão, carne e hortifrutigranjeiros, que estão alimentando as famílias de mais de 231 mil alunos, que estudam na rede estadual de Educação.

Estudantes assistidos pelos programas sociais do Governo do Estado já receberam mais de 9 milhões de quilos em alimentos. São cestas básicas, com arroz, óleo, feijão, carne e hortifrutigranjeiros, que estão alimentando as famílias de mais de 231 mil alunos, que estudam na rede estadual de Educação.

Até o momento a Secretaria de Estado da Educação e Fundepar já fizeram quatro entregues nos colégios estaduais.

As entregas estão atendendo estudantes, atendidos por programa Bolsa Família, que ficaram sem as merendas em função da pandemia do novo coronavírus.

O diretor do Colégio Estadual Professora Izabel Lopes, no Pinheirinho, em Curitiba, Averaldo Teodoro, avalia como importante essa entrega de merendas para as famílias de baixa renda. “Vejo como essencial a entrega dos alimentos para os nossos alunos. Muitos são de baixa renda e por meio dessa ação, a comida está chegando em suas mesas”, diz o diretor.

A cada quinze dias, as equipes da Secretaria organizam a distribuição dos alimentos para os alunos, que são entregues um dia antes pela Fundepar diretamente nas escolas.

Em um sistema de rodízio de professores, agentes I e II e também pedagogos e diretores, organizam os kits de merenda para distribuir às famílias beneficiárias do Bolsa Família.

A diretora do Planejamento Escolar, Adriana Kampa, explica que as entregas são para todas as escolas, mas o kit é diferente em cada escola. “Fazemos o repasse e o diretor e a equipe de cada escola distribuem conforme suas necessidades. Por isso, existe diferença entre os alimentos entregue de uma escola para outra”.

Material Impresso

Durante a entrega dos kits, as atendem as famílias de alunos que não têm acesso às plataformas de aula  e precisam receber material didático impresso para dar continuidade ao ano letivo.

A diretora da Escola Estadual Yvone Pimentel, no bairro Capão Raso em Curitiba, Maira Hara, afirma que a alternativa é ideal para famílias que possuem renda baixa e não têm acesso. “Aqui em nossa escola, nossa equipe buscou rastrear todas as famílias que não têm nem acesso às aulas pela TV ou pelo aplicativo do celular e também incluímos aquelas que possuem mais de dois filhos”, disse. “Nós convidamos eles para virem na escola no mesmo dia da entrega do kit e já entregamos as atividades”, explica a diretora. Nesses momentos, há oportunidade de tirar dúvidas do material entregue.

Boa ajuda

Para os responsáveis pelos estudantes, os kits vieram em um bom momento, já que muitos estão em casa sem conseguir trabalhar e, consequentemente, sem renda.

Cleide Aparecida Costa é mãe de duas alunas que estudam na escola localizada no Alto Boqueirão. Ela conta que a doação de alimentos ajuda a completar a refeição dos filhos e também a deixa mais segura nesse período de isolamento.

“Meu maior medo é contrair o vírus indo ao mercado, ficar doente e não poder cuidar das crianças. O kit ajuda na alimentação saudável dos meus filhos e vai durar bastante. Vou poder ficar em casa tranquila com eles”, diz.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios