Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A ação foi movida para devolver aos engenheiros a possibilidade de participar do edital para a construção da Rua da Cidadania CIC, em Curitiba

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) conseguiu mais uma vitória a favor dos engenheiros. Dessa vez, a defesa de interesses da categoria foi feita por meio de uma decisão da 1ª Vara Federal de Curitiba, que determinou a inclusão de engenheiros no edital lançado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) para a elaboração de projetos e serviços de engenharia e arquitetura para a construção da Rua da Cidadania CIC (pregão eletrônico nº 01/2020 Ippuc). O Ippuc havia excluído a participação de engenheiros no processo aberto em 2020 mas, após ação aberta pelo Crea-PR, terá de reconsiderar a participação dos profissionais que, segundo parecer da Justiça,estão aptos a desenvolver os projetos e serviços exigidos pelo edital.

O parecer determinando a retificação e republicação do edital de pregão eletrônico 01/20 para a construção do equipamento público, desenhado pelo Ippuc, foi expedido pela Justiça no dia 20 de abril. No documento, o juiz Friedmann Anderson Wendpap determina que no edital deverá constar a possibilidade de participação de engenheiros ligados ao Sistema Confea/Crea-PR. A decisão também exige a reabertura de prazo de inscrições no edital – que no momento está anulado.

Para o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-Pr), Engenheiro Civil Ricardo Rocha, a Justiça foi coerente com o que diz a legislação que regulamenta as profissões de Engenheiro e também de Arquiteto. “É uma vitória do Crea-PR em favor dos engenheiros. Não poderíamos deixar um processo de licitação de uma obra pública sem a possibilidade da ampla participação dos profissionais paranaenses. Esse é nosso papel e estamos atentos a nossos direitos e ao espaço que nos cabe na construção de nossas cidades”, comemorou o Engenheiro Civil Ricardo Rocha.

Rocha destacou a decisão judicial. “O juiz deixou claro em seu despacho que‘julga procedente o pedido do Crea-PR, resolvendo o mérito, para determinar retificação e republicação do Edital de Pregão Eletrônico 01/2020, fazendo constar a possibilidade de que os engenheiros (desde que sejam profissionais afetos ao sistema Confea/Crea) habilitem-se, reabrindo-se prazo para as inscrições no certame, de acordo com a fundamentação’ ”, citou Rocha.

Histórico

O edital de licitação para a construção da Rua da Cidadania CIC, em Curitiba, foi aberto pela prefeitura em abril de 2020, com a possibilidade de ampla participação de engenheiros e arquitetos. Mas, por meio de um recurso administrativo apresentado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), o edital limitou a participação no processo a arquitetos e urbanistas, excluindo engenheiros. O Crea-PR recorreu da decisão, para viabilizar a participação de engenheiros no processo.

De acordo com a Lei nº 5.194/66, que regula a profissão de engenharia, as atividades e atribuições do engenheiro, do arquiteto e do engenheiro agrônomo consistem, entre outras, 1) em planejamento ou projeto em geral de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes, explorações de recursos naturais e desenvolvimento de produção industrial e agropecuária; 2) em estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica; e 3) em fiscalização de obras e serviços técnicos.Portanto, com argumentação legal, os engenheiros estão aptos a coordenar serviços de engenharia e arquitetura, e para participar do processo – bem como pessoas jurídicas registradas no Crea-PR.

Em nota, o Ippuc informou que o novo edital de licitação está em fase de elaboração e deverá ser lançado ainda no mês de maio.

Asimp/Crea-Pr

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.