Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná


O objetivo é trabalhar em parceria e assegurar crescimento ao setor, novos empregos e melhorias na qualidade de vida em mais de 70 municípios

Em encontro no Palácio Iguaçu, o presidente da Lar Cooperativa Agroindustrial, Irineo da Costa Rodrigues, apresentou ao governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior e aos Secretários de Estado os investimentos planejados de 2020 até 2024. Ao total, até 2024, devem ser investidos pela cooperativa e seus associados cerca de R$ 2,4 bilhões na avicultura e na suinocultura paranaense. O objetivo é trabalhar em parceria e assegurar crescimento ao setor, novos empregos e melhorias na qualidade de vida em mais de 70 municípios.
Na oportunidade, o presidente da Lar apresentou demandas de melhoria ao Governo do Estado que visam acelerar o processo de desenvolvimento. Os principais pontos citados foram infraestrutura (viadutos, duplicação, acessos e pavimentação de estradas rurais), ampliação da oferta de rede de energia elétrica trifásica, continuidade dos programas de incentivos fiscais e implementação de alternativas para a produção de energia elétrica de fontes renováveis.
Irineo da Costa Rodrigues, que também é presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná - Sindiavipar, destacou que os investimentos trarão benefícios para o setor de aves paranaense, que é o maior exportador e produtor de carne de frango do país. “A Lar prevê o crescimento de 165% em sua avicultura nos próximos cinco anos. Por isso, precisamos ampliar, modernizar e tornar o segmento ainda mais competitivo. O governo vem fazendo um ótimo trabalho, mas podemos aperfeiçoar, investir em estradas e geração de energia elétrica, entre outros itens de infraestrutura”, relata.
Para Rodrigues, a apresentação dos planos da cooperativa ao governo do Estado é fundamental para o trabalho conjunto. “Estamos investindo na produção de frangos e suínos, na integração, e nas indústrias das cidades-polo de Rolândia, Medianeira e Marechal Cândido Rondon”, disse. “Nenhuma outra área investe tanto quanto a nossa. Já existe uma integração e o Estado está fazendo a sua parte, mas estamos acelerando os projetos e temos a sinalização de que haverá essa urgência”, avaliou.
Impactos na economia
Os investimentos da Lar irão impactar positivamente a economia do estado e trazer ganhos para a sociedade. Entre eles, o aumento das exportações e do atendimento do mercado interno e geração de empregos e crescimento para o comércio e o setor de serviços – estima-se que cada emprego direto na avicultura gera outros 17 postos de trabalho indiretos - a previsão é dobrar o número de vagas, alcançando mais de 26 mil colaboradores em 2024.
O governador, Ratinho Júnior, destacou a importância do anúncio nesse momento para o estado, que está retomando sua economia. Para o governador, os benefícios também envolvem a transformação da matriz energética do campo, aumento das exportações e do atendimento do mercado interno e geração de empregos e ganhos para o comércio e o setor de serviços “A Lar é uma cooperativa que orgulha o Paraná por toda a sua história, pelo apoio ao desenvolvimento do agronegócio e da economia do Estado. É uma das maiores cooperativas do Brasil. Queremos facilitar a vida dos cooperados e da própria Lar para que esse processo de crescimento seja contínuo”, disse.
Para o governador, esses investimentos vão reforçar a vocação em cima da cadeia de carnes e vão ampliar as exportações. “Neste ano receberemos o reconhecimento internacional de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação e estamos preparando um salto na logística com a Nova Ferroeste e a concessão de rodovias e aeroportos”, declarou.
O protagonismo da avicultura
Embarcando seu produto para mais de 160 países, a avicultura paranaense também apresentou alta na exportação em 2020. De acordo com o portal Comex Stat, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, só do Paraná, 1,64 milhão de toneladas foram enviadas ao exterior, o que representa 33,68% do total produzido no estado. Se comparado com 2019, quando 1,58 milhão de toneladas foram exportadas, o aumento nos embarques foi de 4,2%. Com estes números, o Paraná foi responsável por 39,62% de todos os embarques de produtos avícolas feitos no Brasil.
Durante sua apresentação, Irineo da Costa Rodrigues informou que a avicultura representa 30% do faturamento da Lar. Dos valores apresentados, R$ 121 milhões serão investidos em nove núcleos de recria e novos incubatórios. Já os produtores associados vão investir em 14 núcleos para produção de ovos e 880 novos aviários, com aporte final de R$ 905 milhões.
Atualmente são 1,1 milhão de aves em recria, número que vai chegar a 2,2 milhões em 2024. Serão 1,8 milhão de galinhas destinadas à produção de ovos ao final do investimento – com aumento de 15,5 milhões de ovos incubados para 40 milhões. Também haverá crescimento de 107% na produção de aves para a terminação, com 1,1 milhão de aves abatidos por dia. Serão, ao final do investimento, mais de 500 novos associados, mais de três mil aviários (crescimento de 104% em relação ao número atual) e 71 municípios na área de abrangência.
No encontro, os secretários estaduais presentes apresentaram um panorama dos programas em desenvolvimento ou próximos a iniciar. Entre eles, o Paraná Trifásico, projetos executivos de obras no entorno das plantas da cooperativa, licenciamentos ambientais e pavimentações rurais.
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, destacou o início da implementação da interligação municipal entre Ramilândia e Santa Helena, acordada com a Itaipu Binacional, e a possibilidade de inclusão de terceiras faixas e ampliação da segurança nas PR-465, PR-488 e PR-495, e a melhorar os acessos, com viadutos, nas plantas de Rolândia e Matelândia.
O secretário de Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, acrescentou que o Paraná é o maior produtor de frangos do País e o segundo em suínos, com possibilidade de alcançar a liderança no médio prazo. Ele ressaltou que os novos investimentos da Lar serão acompanhados de um grande programa de políticas públicas do Estado com os municípios. “Teremos 500 quilômetros de estradas rurais pavimentadas em 2021 e o lançamento do Banco do Agricultor, facilitando o acesso a sistemas de irrigação, placas fotovoltaicas e biodigestores. Também estamos ampliando o apoio técnico às nossas cadeias produtivas e melhorando as condições sanitárias para a exportação”, reforçou
Presenças

Estiveram presentes também ao encontro o vice-governador Darci Piana; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; os secretários Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo), Romulo Marinho Soares (Segurança Pública) e Marcel Micheletto (Administração e Previdência); o Diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, Fernando Furiatti; o Diretor da Copel Distribuição, Maximiliano Orfali; o Diretor 1º Vice-presidente da Lar, Lauro Soethe; o também Diretor 2º Vice-presidente da Lar, Urbano Inácio Frey, e os superintendentes de Suprimentos e Alimentos, Jair José Meyer e o de Negócios Agrícolas, Vandeir José Conrad. Além disso, estiveram presentes os convidados da Lar, os prefeitos de Medianeira, Antônio França, e Matelândia, Maximino Pietrobon; os deputados estaduais Cobra Repórter, Hussein Bakri e Gugu Bueno; Presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken e o Diretor Executivo do Sindiavipar, Inácio Afonso Kroetz.

Camila Castro/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios