Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

João Francisco Ferreira tomou posse na quarta-feira (7). O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da República, Jair Bolsonaro, acompanharam a cerimônia.

Após dois anos e um mês, o diretor-geral do braço nacional da empresa, general Joaquim Silva e Luna, deixa o cargo para assumir a presidência da Petrobras. Em seu lugar, assumiu o general João Francisco Ferreira, cujo mandato se estende até 16 de maio de 2022.

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira (7). Eles assinaram o termo de posse às 15h20, em solenidade de transmissão de cargo realizada no Cineteatro dos Barrageiros, dentro da Usina, espaço que homenageia os operários que participaram da obra da hidrelétrica. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da República, Jair Bolsonaro, acompanharam a cerimônia.

“A Itaipu tem exercido um papel fundamental de viabilizar o desenvolvimento do Paraná. É através da parceria que firmamos com a binacional nos últimos anos que pudemos fomentar diversas obras no Oeste do Estado, atraindo mais investimentos e potencializando o turismo”, afirmou Ratinho Junior.

O presidente da República endossou que, nos últimos anos, a administração da Itaipu levou a empresa a um novo papel de protagonista. “Há poucos anos, a Itaipu dava prejuízo de milhões por ano; hoje, dá lucro e faz obras no Paraná. Dezenas de prefeitos se beneficiam de seus investimentos, e, mais do que isso, o Brasil se beneficiou”, destacou.

A solenidade de transmissão de cargo se deu após a inauguração da ampliação da Pista De Pousos E Decolagens Do Aeroporto De Foz Do Iguaçu.

Itaipu e Governo

A visita presidencial à cidade de Foz do Iguaçu reforça a importância dos investimentos realizados no Oeste do Paraná. Os convênios do Governo do Estado e de Itaipu Binacional somam mais de R$ 1 bilhão. A ampliação da pista do aeroporto em cerca de 600 metros integra este pacote, e passa a permitir pousos e decolagens de aviões de grande porte - o que, na prática, viabiliza voos diretos dos Estados Unidos e Europa e intensifica o fluxo de turistas.

“Foz do Iguaçu é segundo destino turístico de estrangeiros no Brasil, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, e não tinha aeroporto para descer voos diretos dos Estados Unidos e da Europa. Precisávamos tirar essa pista do papel e seguir a vocação do turismo na cidade. Por isso, criamos o convênio entre Governo Federal, Governo do Paraná e Itaipu Binacional, que viabilizou as obras e elevou o patamar do nosso aeroporto”, afirmou Ratinho Junior.

Dentre as obras que integram este pacote estão a construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai; a construção da rodovia Perimetral Leste, que ligará esta segunda ponte à rodovia BR-227; a duplicação e revitalização de 8,7 quilômetros da Rodovia das Cataratas (BR-469); a Estrada Boiadeira (Noroeste); e a duplicação da BR-277 em Cascavel, entre a PRF e a Ferroeste.

Troca no comando

Ferreira foi indicado ao cargo de diretor-geral da Itaipu no último dia 19 de fevereiro pelo presidente Bolsonaro, mesma data em que Silva e Luna foi nomeado para presidente da Petrobras. No entanto, este deve assumir o novo cargo apenas após a assembleia do Conselho Administrativo da empresa, a ser realizada em 12 de abril.

“Nesse período usei o crachá vermelho da Itaipu sentindo que ele me emprestava uma espécie de elegância moral”, disse Silva e Luna, emocionado. “Agradeço ao presidente por ter me indicado a presidir a Petrobras. Hipotecarei o melhor das minhas energias limpas e renováveis, no sentido de bem cumprir essa nova função”.

A Itaipu é a responsável por 15% de toda a energia consumida no Brasil, e 90% da consumida no Paraguai. A Binacional possui 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência. Desde 1984, foram 2,7 bilhões de MWh produzidos, sendo a lídeer mundial na geração de energia renovável.

Em seu discurso, Silva e Luna destacou que a economia de recursos com as ações de austeridade adotadas foi “devolvida aos consumidores brasileiros” na forma de “legados inquestionáveis”, como obras em infraestrutura, saneamento e segurança pública.

Ferreira é o 13° diretor-geral brasileiro da binacional e o quarto militar à frente da hidrelétrica. O general destacou que pretende dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado na gestão anterior, com foco em planejamento e desenvolvimento.

“Entendo o peso da responsabilidade do cargo e a grandiosidade do momento em que a Itaipu Binacional se aproxima do seu cinquentenário, marco que vem se caracterizando pelas conquistas e consolidação como empresa de produção de energia limpa com responsabilidade social e ambiental. Esse momento nos traz muitas indagações quanto ao futuro, e me sinto muito motivado para fazer face a esses desafios”, destacou

Presenças

Estiveram presentes na cerimônia de posse os ministros Carlos Alberto Franco França (Relações Exteriores), Marcelo Queiroga (Saúde), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Onyx Lorenzoni (chefe da Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (chefe do Gabinete de Segurança Institucional); o secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio; o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães; o presidente da Infraero, brigadeiro Hélio Paes de Barros Júnior; o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e o secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares; os deputados federais Ricardo Barros, Aline Sleutjes, Daniel Freitas e Vermelho; o deputado estadual Soldado Fruet; e o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro.

AEN

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios