Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

João Francisco Ferreira tomou posse na quarta-feira (7). O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da República, Jair Bolsonaro, acompanharam a cerimônia.

Após dois anos e um mês, o diretor-geral do braço nacional da empresa, general Joaquim Silva e Luna, deixa o cargo para assumir a presidência da Petrobras. Em seu lugar, assumiu o general João Francisco Ferreira, cujo mandato se estende até 16 de maio de 2022.

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira (7). Eles assinaram o termo de posse às 15h20, em solenidade de transmissão de cargo realizada no Cineteatro dos Barrageiros, dentro da Usina, espaço que homenageia os operários que participaram da obra da hidrelétrica. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da República, Jair Bolsonaro, acompanharam a cerimônia.

“A Itaipu tem exercido um papel fundamental de viabilizar o desenvolvimento do Paraná. É através da parceria que firmamos com a binacional nos últimos anos que pudemos fomentar diversas obras no Oeste do Estado, atraindo mais investimentos e potencializando o turismo”, afirmou Ratinho Junior.

O presidente da República endossou que, nos últimos anos, a administração da Itaipu levou a empresa a um novo papel de protagonista. “Há poucos anos, a Itaipu dava prejuízo de milhões por ano; hoje, dá lucro e faz obras no Paraná. Dezenas de prefeitos se beneficiam de seus investimentos, e, mais do que isso, o Brasil se beneficiou”, destacou.

A solenidade de transmissão de cargo se deu após a inauguração da ampliação da Pista De Pousos E Decolagens Do Aeroporto De Foz Do Iguaçu.

Itaipu e Governo

A visita presidencial à cidade de Foz do Iguaçu reforça a importância dos investimentos realizados no Oeste do Paraná. Os convênios do Governo do Estado e de Itaipu Binacional somam mais de R$ 1 bilhão. A ampliação da pista do aeroporto em cerca de 600 metros integra este pacote, e passa a permitir pousos e decolagens de aviões de grande porte - o que, na prática, viabiliza voos diretos dos Estados Unidos e Europa e intensifica o fluxo de turistas.

“Foz do Iguaçu é segundo destino turístico de estrangeiros no Brasil, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, e não tinha aeroporto para descer voos diretos dos Estados Unidos e da Europa. Precisávamos tirar essa pista do papel e seguir a vocação do turismo na cidade. Por isso, criamos o convênio entre Governo Federal, Governo do Paraná e Itaipu Binacional, que viabilizou as obras e elevou o patamar do nosso aeroporto”, afirmou Ratinho Junior.

Dentre as obras que integram este pacote estão a construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai; a construção da rodovia Perimetral Leste, que ligará esta segunda ponte à rodovia BR-227; a duplicação e revitalização de 8,7 quilômetros da Rodovia das Cataratas (BR-469); a Estrada Boiadeira (Noroeste); e a duplicação da BR-277 em Cascavel, entre a PRF e a Ferroeste.

Troca no comando

Ferreira foi indicado ao cargo de diretor-geral da Itaipu no último dia 19 de fevereiro pelo presidente Bolsonaro, mesma data em que Silva e Luna foi nomeado para presidente da Petrobras. No entanto, este deve assumir o novo cargo apenas após a assembleia do Conselho Administrativo da empresa, a ser realizada em 12 de abril.

“Nesse período usei o crachá vermelho da Itaipu sentindo que ele me emprestava uma espécie de elegância moral”, disse Silva e Luna, emocionado. “Agradeço ao presidente por ter me indicado a presidir a Petrobras. Hipotecarei o melhor das minhas energias limpas e renováveis, no sentido de bem cumprir essa nova função”.

A Itaipu é a responsável por 15% de toda a energia consumida no Brasil, e 90% da consumida no Paraguai. A Binacional possui 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência. Desde 1984, foram 2,7 bilhões de MWh produzidos, sendo a lídeer mundial na geração de energia renovável.

Em seu discurso, Silva e Luna destacou que a economia de recursos com as ações de austeridade adotadas foi “devolvida aos consumidores brasileiros” na forma de “legados inquestionáveis”, como obras em infraestrutura, saneamento e segurança pública.

Ferreira é o 13° diretor-geral brasileiro da binacional e o quarto militar à frente da hidrelétrica. O general destacou que pretende dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado na gestão anterior, com foco em planejamento e desenvolvimento.

“Entendo o peso da responsabilidade do cargo e a grandiosidade do momento em que a Itaipu Binacional se aproxima do seu cinquentenário, marco que vem se caracterizando pelas conquistas e consolidação como empresa de produção de energia limpa com responsabilidade social e ambiental. Esse momento nos traz muitas indagações quanto ao futuro, e me sinto muito motivado para fazer face a esses desafios”, destacou

Presenças

Estiveram presentes na cerimônia de posse os ministros Carlos Alberto Franco França (Relações Exteriores), Marcelo Queiroga (Saúde), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Onyx Lorenzoni (chefe da Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (chefe do Gabinete de Segurança Institucional); o secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio; o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães; o presidente da Infraero, brigadeiro Hélio Paes de Barros Júnior; o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e o secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares; os deputados federais Ricardo Barros, Aline Sleutjes, Daniel Freitas e Vermelho; o deputado estadual Soldado Fruet; e o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro.

AEN

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.