Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente do Idoso e da Pessoa com Deficiência (CRIAI) da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou em reunião comandada pela deputada Cantora Mara Lima (PSC), ontem (5), parecer favorável ao projeto de lei 96/2021, do Poder Executivo, que prevê a instituição do Orçamento Criança e Adolescente (OCA).

A iniciativa analisada pela Comissão, que tem o deputado Cobra Repórter (PSD) como presidente, estabelece como Orçamento Criança e Adolescente a soma dos gastos orçamentários destinados às ações e programas direcionados para o público infanto-juvenil. “É um sonho que hoje se concretiza com este projeto de lei”, afirmou a deputada Mara Lima no encontro que contou com representantes do Ministério Público do Paraná, Governo do Estado e conselhos tutelares.

O objetivo da medida é, de acordo com a justificativa do Poder Executivo, “garantir transparência, melhorar a gestão e a efetividade na implementação de direitos fundamentais da criança e do adolescente, com metodologia aprovada, inclusive, pela UNICEF”.  Ele visa garantir a efetivação do exercício pleno dos direitos fundamentais das crianças e adolescentes no orçamento público estadual favorecendo a eficiência, transparência, fiscalização e controle da gestão fiscal.

De acordo com Angela Mendonça, diretora do Departamento de Políticas Públicas para Crianças e Adolescentes da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (SEJUF), o orçamento é aguardado há anos. “Um dos grandes sonhos para quem trabalha na área da infância. Lugar de criança é na escola e no orçamento público, para que se consolide no Paraná este espírito de eficiência, transparência e efetividade no uso dos recursos”, afirmou.

Para Daniele Tuotto, do Ministério Público (MP/PR), “toda normativa nacional e internacional coloca a criança em local prioritário no orçamento público. Não são novos recursos, mas uma metodologia capaz de demonstrar ao gestor e à sociedade onde estão estes recursos, para que se possa trabalhar de maneira efetiva pelos direitos integrais. Teremos muito mais transparência e prioridade da criança e do adolescente”, disse.

Relator do projeto na Comissão, o deputado Subtenente Everton (PSL) disse que o texto é “um exemplo a ser seguido pelos outros estados, que visa garantir a transparência e melhoria de gestão. A criança tem que estar no centro de todas as discussões, a importância da família, da escola e do tratamento em saúde. É um desejo do povo do Paraná”, explicou.

Participaram da reunião ainda os deputados Márcio Pacheco (PDT) e Gugu Bueno (PL) e a deputada Luciana Rafagnin (PT).

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.