Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Relator do Orçamento, deputado Tiago Amaral, apresentou relatório nessa quarta

O orçamento de 2022, aprovado ontem (1) pela Comissão de Orçamento, prevê R$ 300 milhões para efetuar contratações de novos servidores, onde destacam-se os concursos de soldado da Polícia Militar, delegados e investigadores da Polícia Civil, Polícia Penal, do instituto de Água e Terra – IAT, da ADAPAR e de Professores da Educação Básica, além do pagamento das promoções e progressões de todas as carreiras do Estado no montante de R$ 573 milhões. A previsão de despesas de pessoal sofreu um acréscimo de 10,4% em relação ao atual exercício.

 “Entre as demandas a que mais pressiona o Governo do Estado e a população é a falta de policiamento. Há uma previsão de recurso bastante significativa para contratação de profissionais de segurança pública, tanto da polícia civil e da polícia militar, e isso nos dá uma garantiaque serão contratados”, afirmou o relator do Orçamento, deputado Tiago Amaral.

O orçamento é 8% superior ao aprovado para 2021. “Apesar de conservador, foi suprimido o déficit de R$ 4,3 bilhões do orçamento fiscal previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O Estado fez supressão de despesas e aumentou expectativa de arrecadação. É evidente que tenhamos um desempenho até acima daquilo o que previsto pela Secretária da Fazenda”, disse Amaral. De acordo com o relator, o cenário de arrecadação teve melhora significativa até o momento, sendo quase 20% superior ao previsto para o ano de 2021.

A LOA registrou ainda crescimento superior a 11% das despesas em segurança, saúde e educação. Desta forma, a proposta prevê a destinação de R$ 6,1 bilhões para a saúde, R$ 10,9 bilhões para a educação e R$ 4,9 bilhões para a segurança pública. O relator lembrou também que, apesar do crescimento, o orçamento fiscal de 2022 é menor do que o proposto em 2020, antes da pandemia. Segundo o relatório, o orçamento de 2022 acumula queda de 2% em relação ao de 2020.

Emendas

Ao Projeto de Lei original foram apresentadas 849 emendas, sendo 450 à despesa, 126 ao conteúdo programático, 70 coletivas e 203 ao Texto da Lei. Foram acatadas 450 emendas à despesa, 126 ao conteúdo programático, 70 coletivas e 180 ao texto da Lei, respeitando a prerrogativa constitucional de acompanhamento e fiscalização da peça orçamentária. As emendas foram acatadas para que o Governo priorize as sugestões do parlamento.

Entre as emendas apresentadas pelo relator, deputado Tiago Amaral, estão a construção donovo Batalhão da Região Norte de Londrina no valor de R$ 10 milhões, a criação da Companhia Independente no município de Cambé, no valor de R$ 5 milhões, atender o Projeto “Descomplica” do Corpo de Bombeiros do Estado, no valor de R$ 1,5 milhão e para atender a compra de fardamento para os Policiais Militares o valor máximo de R$ 10 milhões.

A Proposta Orçamentária estima as receitas e autoriza as despesas do Governo do Estado de acordo com a previsão de arrecadação. Essa estimativa captura as expectativas econômicas do próximo exercício no momento da elaboração do orçamento e não na época da sua execução. O Poder Executivo poderá realizar ajustes durante a execução do próximo exercício, como aumentar a expectativa de arrecadação para fixar novas despesas.

Além do relator, deputado Tiago Amaral (PSB), participaram da reunião o presidente da Comissão, deputado Evandro Araújo (PSC), e os deputados Anibelli Neto (MDB), Luiz Fernando Guerra (PSL), Márcio Pacheco (PDT) e Paulo Litro (PSDB).

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.