Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Paraná está na dianteira no País no desenvolvimento de ações para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Agenda 2030 e Programas das Cidades (ODS). Para intensificar os trabalhos de convergência que visam alcançar estas metas, um grupo formado por representantes de vários segmentos do Estado se reuniu nesta quinta-feira (02) no Palácio Iguaçu, para discussões em torno do tema. O secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros, comandou a reunião.

O objetivo, segundo Barros, é melhorar a coordenação do processo de ações para alcançar de forma mais segura as metas dos ODS. “Estamos sendo privilegiados pela Organização das Nações Unidas com a oportunidade de nos tornarmos centro de referência sobre a implementação destes objetivos”, afirmou Barros. “Por isso, estamos unindo todos os agentes envolvidos no tema para que possamos apresentar, até o final do ano, um relatório consolidado do que o Paraná está fazendo” explicou o secretário.

Sustentabilidade

Os ODS estão relacionadas à educação, saúde, erradicação da pobreza, meio ambiente e desenvolvimento das cidades. Muitos órgãos de governo estão atuando nesses objetivos, segundo o secretário. “Isso é fundamental para que a gente possa contribuir para a sustentabilidade do planeta.”

As metas foram estabelecidas pela ONU sob o alerta claro de que, se até 2030 elas não forem alcançadas, não há garantia de que a vida humana no planeta Terra seja viável por muito tempo, previne o secretário.

No momento o Estado está contabilizando o que investe na execução de obras e programas e identificando os ODS específicos de cada investimento. “Assim, poderemos reportar o quanto o Paraná está investindo no alcance dessas metas. Nós temos compromissos com o Brasil que deverão ser assumidos pelo Paraná. O que nós queremos é acelerar o processo, coordenar e juntar os esforços para que possamos verificar de maneira segura o investimento que está sendo feito.”

Incentivo

A Copel está entrando com a estrutura de apoio à iniciativa da ONU em relação ao Pacto Global e à Agenda 2030 e também ao Programa Cidades, que tem como objetivo principal o cumprimento dos ODS. São inúmeras ações programadas para o desenvolvimento social e ambiental, segundo explicou Jonel Yurk, presidente da empresa de energia elétrica. “Atuamos na conservação da Biodiversidade, qualidade da água, trabalho decente, direitos humanos, segurança. Tudo isso compõe os ODS.”

Ele citou como exemplo a preservação de quase 10 mil hectares de matas na Serra do Mar. “Pouca gente sabe disso, porque a empresa é conhecida por fornecer energia, mas os insumos dependem de recursos naturais. Então, cuidar da água e das florestas é fundamental pra nós”.

Yurki disse que a proposta do grupo é orientar os municípios que queiram aderir às ações. “Para isso é preciso criar uma consciência de forma a multiplicar essa ideia genial.” A Copel está também fazendo um trabalho para incentivar os fornecedores a aceitarem a proposta de cumprimento dos ODS. “Não adianta só a Copel fazer um esforço muito grande e, ao movimentar uma cadeia enorme de fornecedores, as empresas não seguirem o mesmo padrão que nós seguimos. O ideal é formar uma rede que atinja toda a atividade econômica.”

Dados

Outra empresa que faz parte do trabalho é a Celepar. Ela criou uma plataforma na internet chamada “De Olho nos ODS” que ajuda a monitorar e balizar as ações para alcançar as metas estabelecidas. Cristina Viomar, analista de sistemas da Celepar e responsável pelo Business Inteligence (BI) dos ODS do Paraná, explicou que foram desenvolvidos dois produtos que ajudam nos alcance dos objetivos.

Um deles é o portal para o cadastramento de boas práticas realizadas pelo primeiro setor (governo), segundo setor (iniciativa privada) e terceiro setor (entidades). A outra é o mapeamento pelo BI, que é responsável por mapear, junto com o Ipardes, os indicadores relacionados aos ODS e auxiliar o gestor nas tomadas de decisão e na condução das políticas públicas. “Através desses indicadores, o Estado consegue avaliar as oportunidades e fragilidades de cada município”, afirmou a analista.

Também participaram da reunião o secretário de Estado da Administração e Previdência, Fernando Ghignone; o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Bueno Netto; o presidente do Banco de Desenvolvimento da Região Sul (BRDE), Orlando Pessuti; o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Fernando Guimarães; o presidente da Assomec e prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wosniak; a vice-presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social (CEDES), Kely Guimarães, e representantes da Sanepar, Ipardes, Federação das Indústrias do Paraná e Federação da Agricultura do Paraná.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios